Clóvis Gruner | Colunas

O Brasil é imperdoável

É cedo para sabermos se Bolsonaro sairá ou não vitorioso do golpe que prepara. Mas já passou da hora de pararmos de confiar nas instituições como se elas bastassem para nos salvar da barbárie. E de pararmos de tratá-lo como uma exceção em nossa história recente

Clóvis Gruner

O coração de Dilma, as coxas de Lula

Há uma aposta no esvaziamento do espaço público e na despolitização. Se política também se faz com afeto, isso pode ser perigoso quando os afetos turvam o debate e pautam a discussão de problemas que são públicos

Clóvis Gruner

O passado queima

A desigualdade que pauta as políticas patrimoniais as transformou, e os monumentos que são parte integrante delas, em um território de luta material e simbólica permanente, na medida em que grupos e identidades subalternizadas reconhecem as muitas assimetrias nas formas de apropriação e seleção desse patrimônio

Clóvis Gruner

500 mil mortos, uma página gloriosa do bolsonarismo

As evidências da responsabilidade do governo pelos 500 mil mortos são muitas. Mas no discurso bolsonarista, milhões de vidas foram salvas, a vacinação é um estrondoso sucesso, e o problema somos nós, que torcemos pelo vírus e contra o governo

Clóvis Gruner

As vidas de Jacarezinho não merecem o luto

É principalmente o Estado quem produz os critérios políticos de reconhecimento, razão pela qual, a cada novo assassinato, além de defender e proteger a polícia, seus agentes tratam de criminalizar a vítima, tornada responsável por sua tragédia

Clóvis Gruner