Rocketman e Joker: as músicas vencedoras do Golden Globe | Plural
6 jan 2020 - 22h05

Rocketman e Joker: as músicas vencedoras do Golden Globe

Coluna analisa o resultado da primeira grande premiação do ano

Começou a temporada de premiações do cinema e da televisão. Nesta segunda à noite foram anunciados os vencedores do Golden Globe 2020, considerado um termômetro para o Oscar e o Emmy. As categorias musicais premiadas: Melhor Canção Original e Melhor Trilha Sonora.

Não houve surpresas nestes aspectos, Rocketman faturou o prêmio de melhor canção, com I’m gonna love me again, composição de Elton John e Bernie Taupin; Joker levou o troféu de melhor trilha sonora, pela impecável composição da islandesa Hildur Gudnadottir. Diga-se de passagem, ela já havia cativado os ouvintes mais atentos por seu trabalho inovador na minisérie dramática Chernobyl, que mescla música e amostras sonoras gravadas no interior de uma usina abandonada.

Falando mais sobre os premiados

Analisei as trilhas sonoras desses filmes aqui na coluna PopCorn Music, quando os mesmos foram lançados. Deixo os links para que você possa aprofundar sua leitura, mas também farei alguns comentários breves.

Rocketman

A trilha sonora é ótima, afinal de contas estamos falando de Elton John. A canção composta exclusivamente para o filme, que faturou o prêmio ontem, surge em um momento chave da trama, demonstrando a transformação do protagonista. Sua estrutura harmônica é simples, porém marcante. É uma canção para um ouvindo dançante? Sim, mas também faz pensar.

Ponto fraco

Apesar da atuação aclamada de Taron Egerton na pele de Elton John, que inclusive rendeu ao ator um troféu na noite de ontem (Melhor Ator de Filme Musical ou de Comédia), há alguns problemas de performance. Falo de forma detalhada na coluna sobre o filme, mas resumo aqui. Às vezes, tem-se a impressão de que as expressões do ator não correspondem à dinâmica das notas cantadas. Um detalhe performático que, ao meu ver, foi melhor resolvido em Bohemian Rhapsody.

Taron Egerton: cantor

Uma coisa precisa ser dita: Taron Egerton é um ótimo cantor. Ele já havia gravado uma música de Elton John, I’m Still Standing, na animação Sing. O resultado foi ótimo.

Joker

Intrigante e repleto de discussões, algumas bem resolvidas e outras sem respostas claras, Jocker é uma obra parodoxal, por ser, ao mesmo tempo, nostálgica e inovadora. Sua música foi escrita seguindo um caminho não-convencional. Normalmente são gravadas as cenas e depois a música é composta. A trilha sonora acaba sendo uma etapa de pós-produção.

Em Joker o processo foi invertido. O diretor enviou o roteiro do filme previamente para a compositora, que gravou a trilha sonora antes das filmagens. A música, então, foi utilizada no set, durante as tomadas, contribuindo para que a interpretação do ator principal, Joaquin Phoenix (Coringa), fosse uma das mais impactantes já vistas.

Resultado: Hildur Gudnadottir saiu de lá com o prêmio de melhor trilha sonora e Phoenix com o de melhor ator.

Ainda em tempo

Outro título que eu analisei aqui na coluna em 2019 e que levou o Golden Globe ontem (Melhor Filme Musical ou de Comédia) foi Era Uma Vez em Hollywood, de Tarantino. O filme é um mergulho musical na contracultura e na efervescência da década de 1960.

Por enquanto é isso. Que venha o Oscar.

Para ir além:

Rocketman: melhor canção original, I’m gonna love me again

Playlist com a trilha sonora de Joker, no Spotify

Últimas Notícias