Veja os bairros mais afetados pela Covid-19 em Curitiba | Jornal Plural
19 jan 2021 - 22h56

Veja os bairros mais afetados pela Covid-19 em Curitiba

Números são baseados na incidência da doença por Regional de Saúde da Capital

Levantamento da Urbideias, um grupo formado por arquitetos e urbanistas de Curitiba, avaliou o Plano Municipal de Vacinação por região da cidade. O resultado aponta os bairros com maior incidência do coronavírus na Capital.

Os números são baseados nas contaminações registradas pelas 10 Regionais de Saúde da Prefeitura, publicados no Painel Covid-19 Curitiba.

Segundo os dados, as Regionais de Saúde que registram maior incidência do vírus são as dos bairros Boa Vista e CIC, com cerca de 12 mil infectados cada.

Logo atrás, com números entre 8 e 10 mil contaminados, estão as Regionais dos bairros Boqueirão, Cajuru, Portão e Pinheirinho.

Com cerca de 4 a 6 mil casos positivos aparecem as Regionais Matriz, Santa Felicidade e Bairro Novo. Tatuquara é o bairro com menos contaminados pela Covid-19 até agora: entre 2 e 4 mil pessoas.

Fonte: Urbideias/Painel Covid-19 Curitiba

Os que mais transmitem serão os últimos a se vacinar

Além da divisão por bairros, o estudo também aponta que a população mais infectada pelo coronavírus em Curitiba tem entre 20 e 59 anos. Esta faixa etária corresponde a 75% dos casos de Covid-19 registrados na Capital e, segundo a Urbideias, soma 690 mil pessoas. Elas apresentam a maior taxa de transmissão do vírus e estão por último na fila de vacinação: a fase 5 – ainda sem data prevista para começar.

Fonte: Urbideias

“Temos em torno de dois milhões de habitantes em Curitiba, o plano prevê 5 fases e nesta primeira fase, só 18 mil pessoas serão vacinadas. Além de servidores públicos, a população alvo desta fase 1 é acima de 60 anos, que de fato é onde se concentra a maior parte dos óbitos: 78%”, destaca Andrei Crestani, doutor em Arquitetura e Urbanismo e professor da Universidade Positivo (UP) e integrante do Urbideias.

“É importante notar que estamos felizes pela vacina, mas grande parte dos vetores, do grupo em potencial transmissor do vírus, continua sem vacina até a fase 5, que ainda não tem data definida. Por isso precisamos de conscientização coletiva. Não adianta apenas uma parte da população estar imunizada enquanto a maioria pode ser vetor de transmissão do vírus”, alerta o profissional.

A vacinação na Capital começa nesta quarta-feira (20) e prioriza servidores da saúde, idosos em asilos e indígenas que moram na aldeia Kakané-Porã, no bairro Tatuquara.

Fonte: Urbideias Curitiba
Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

2 comentários sobre “Veja os bairros mais afetados pela Covid-19 em Curitiba

  1. Não é trivial encontrar a melhor estratégia para vacinação, em cada lugar geográfico (bairro/município/região-metropolitana/estado/país).
    Existem ferramentas para isto, em especial a modelagem matemática, dominada pelos epidemiologistas de vanguarda.
    As estratégias deveriam ser avaliadas e discutidas por cientistas e técnicos, não por políticos.
    Infelizmente o atual governo do Brasil luta contra a Ciência, e ao que tudo indica contra a própria Vida.

    1. Certamente. Assim como não teria sido excessivamente complexo pro país desenvolver e produzir sua própria vacina. Não o fez por falta de ação do governo federal e passividade dos governos estaduais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias