Alep vai gastar R$ 672 mil em pastilhas de porcelana | Jornal Plural
7 ago 2020 - 17h09

Alep vai gastar R$ 672 mil em pastilhas de porcelana

Fachada do prédio estaria “severamente comprometida”. Compra chegou a ser suspensa mas licitação foi republicada

A Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) prevê a compra R$ 672 mil em pastilhas de porcelana. A ideia é adquirir mais de 2.890 metros quadrados da decoração esmaltada com acabamento brilhante. Segundo o Legislativo, o objeto da compra está na necessidade de manutenção da fachada do Palácio 19 de Dezembro, edifício administrativo da Alep em Curitiba.

A compra foi revelada, em 3 de agosto, pelo portal Mirante Observatório – especializado na fiscalização da legalidade de contratos públicos. A licitação apresentou todas as condições para o fornecimento do material e foi republicada nesta quinta-feira (6). Os gastos estão sendo consolidados em um período de emergência em Saúde Pública, em meio à pandemia do coronavírus.

ItensDescritivo:Quantidade:Valor por unidade:Total:
1Pastilhas de porcelana esmaltada, mix bege2.356,79 m2R$ 231,81R$ 546.327,49
2Pastilhas de porcelana esmaltada, mix azul238,98 m2R$ 236,06R$ 56.413,62
3Pastilhas de porcelana esmaltada, azul295,19 m2R$ 236,06R$ 69.682,55
Total:2.890,96 m2R$ 703,93R$ 672.423,66
Orçamento apresentado no edital 019/2020

O Pregão Eletrônico 19/2020 autoriza a compra da porcelana. No dia 6 de julho, a licitação chegou até a ser suspensa pois a Diretoria de Apoio Técnico do Legislativo considerou a compra como de “conveniência e oportunidade em razão do interesse público”.

A suspensão não durou muito tempo. O edital foi publicado novamente em 17 de julho com as mesmas condições e valores. Desta vez, a compra deve acontecer. O histórico de documentação da licitação pode ser acompanhado pelo próprio site da Assembleia Legislativa.

Situação precária

O Plural entrou em contato com o 1º secretário da Casa, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB). De acordo com ele, a Alep estava tentando há 20 anos conseguir autorização do Conselho do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural do Paraná para recuperação da fachada do prédio histórico que, segundo o parlamentar, está em situação precária.

A ideia é que as porcelanas sejam trocadas para resolver os problemas de infiltração nas paredes da estrutura do Legislativo. Segundo o deputado, as pastilhas são fabricadas especialmente para o prédio, como prevê a legislação.

De acordo com documento técnico da Assembleia Legislativa, a que o Plural teve acesso, datado de 31 de março, a arquiteta contratada pelo Legislativo avaliou que as pastilhas estão severamente comprometidas, descolando-se da superfície devido ao próprio desgaste natural delas e às tempestades que atingiram a Cidade. Com isso, infiltrações e fissuras foram criadas e estão provocando descolamentos das pastilhas.

Romanelli defende que as porcelanas do prédio do Legislativo devem ser substituídas. Segundo ele, a suspensão da licitação no mês passado foi apenas em razão de uma dúvida técnica sobre a especificação do material.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias