Internações por Síndrome Respiratória Aguda no Paraná aumentaram 48% em 2020 | Plural
1 abr 2020 - 2h07

Internações por Síndrome Respiratória Aguda no Paraná aumentaram 48% em 2020

Número de internações de pacientes com sintomas como febre, tosse, dor de garganta e dificuldade respiratória aumentou nas primeiras doze semanas do ano

O número de internações de pacientes com sintomas como febre, tosse, dor de garganta e dificuldade respiratória no Paraná teve um aumento de 48,5% nas primeiras doze semanas do ano em relação ao mesmo período de 2019. Os dados estão no sistema de monitoramento de notificações sobre Síndrome Respiratória Aguda da Fiocruz.

Em 2019, de janeiro a março um total de 337 pessoas haviam sido internadas com o quadro sugestivo de síndrome respiratória aguda. Este ano já foram internadas 560 pessoas. Os dados de 2020 são ainda parciais e relativos até a semana de 16 a 22 de março.

Em boletim divulgado no último dia 31 de março, a Fiocruz informou que em todo país o aumento de notificações é dez vezes maior que a média histórica. “Os dados indicam que a infraestrutura de atendimento hospitalar já está observando uma carga de ocupação em função de Síndrome Respiratória Aguda Grave [SRAG] extremamente elevada, acima da média. Já vinha acima do esperado e com tendência de alta. Porém, nas duas últimas semanas, disparou”, explicou o coordenador do InfoGripe, Marcelo Gomes, que é pesquisador do Núcleo de Métodos Analíticos para Vigilância em Saúde Pública do Programa de Computação Científica (Procc/Fiocruz).

O boletim da Fiocruz também relaciona o aumento a expansão da contaminação por covid-19 no país. “Certamente, nem todos os casos levantados pelo relatório são casos de Covid-19, mas não sabemos ainda qual o percentual foi em decorrência de qual vírus respiratório. A mudança brusca de comportamento sugere que há algo diferente acontecendo, e isso pode ser justamente o novo coronavírus. Seriam necessários exames laboratoriais para saber qual agente infeccioso está causando estas internações, saber quantos casos são influenza e quantos são do novo coronavírus”.

A evolução dos casos de SRAG no Paraná ainda está abaixo da média nacional. Mas teve um pico de aumento de 94% na semana de 9 a 15 de março. Em São Paulo, estado que concentra a maior parte dos casos confirmados de covid-19, o aumento em relação a 2019 foi de 410%.

Os dados divulgados pela Fiocruz abrangem todas as notificações do sistema para SRAG. Esses números sugerem que o aumento de internações pode ter ocorrido em decorrência da Covid-19, embora nem todas as pessoas hospitalizadas tenham sido testadas para a doença, considerando atraso de resultados dos exames específicos para o Covid-19.

O InfoGripe fornece, para todas as regiões brasileiras e seus respectivos estados, a estimativa de casos recentes, indicadores associados ao plano de contingência para vigilância do vírus influenza sazonal, canais endêmicos e limiares de atividade semanal. 

Os dados indicam que o país se encontra em situação significativamente acima do padrão histórico desde o início do ano. Além disso, atualmente apresenta crescimento e incidência acima do limiar pré-epidêmico. Todas as regiões do país encontram-se atualmente na zona de risco.

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você clica aqui, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Últimas Notícias