Conheça a empresa que comprou a Clinipam (e vai assumir 334 mil 'vidas') | Jornal Plural
5 nov 2019 - 1h11

Conheça a empresa que comprou a Clinipam (e vai assumir 334 mil ‘vidas’)

Grupo paulista tem 15 vezes mais beneficiários do que a operadora de plano de saúde paranaense; e o dobro de reclamações na ANS

O Grupo Notre Dame Intermédica (GNDI) só espera a autorização da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) para concretizar a compra da Clínica Paranaense de Assistência Médica (Clinipam), muito conhecida dos curitibanos.

Com 4,4 milhões de clientes em São Paulo e Rio de Janeiro, a Notre Dame deve agregar os 334,5 mil beneficiários da Clinipam no Paraná e em Santa Catarina. Com o número de usuários 15 vezes maior, o grupo paulista tem, ainda, mais do que o dobro de reclamações na ANS por grupos de 10 mil beneficiários.

O investimento de R$ 2,6 bilhões foi estimulado por um crescimento médio de 17% da Clinipam nos últimos cinco anos. O grupo paranaense reúne dois hospitais (Ônix), quatro unidades de pronto-atendimento 24h, 19 centros clínicos (médicos e dentários), um centro de diagnóstico por imagem, um centro de tratamento preventivo e dez laboratórios de análises clínicas.

“Com a assinatura da intenção de venda, as empresas do Grupo Clinipam seguem suas operações normalmente, certos de que o sucesso da transação proporcionará saúde de qualidade acessível a gerações de brasileiros”, sustenta a Clinipam, em nota.

Com atendimento focado na Região Metropolitana de Curitiba e no Norte e Vale de Santa Catarina, a Notre Dame avança com sua expansão pelo Sul. “Esta aquisição demonstra a continuidade de nossa estratégia de crescimento e de fortalecer nossa rede própria em novas praças”, afirma Irlau Machado Filho, presidente do GNDI.

O ano de 2019 prova que a estratégia de crescimento vem dando certo para a empresa. Em maio, a Notre Dame adquiriu a operadora mineira Belo Dente, por R$ 80 milhões. Em abril, comprou o Hospital Materno Infantil AMIU, no RJ, por R$ 40 milhões. Em julho, levou o Grupo Ghelfond, de diagnósticos médicos em SP, por R$ 240 milhões.

ANS

Além dos números que envolvem a venda e a quantidade de usuários, dados registrados pela Agência Nacional de Saúde (ANS) a respeito das duas empresas de saúde suplementar servem de indicadores para comparar a atuação de ambas.

Segundo apurou o Plural, com relação ao número médio de reclamações de beneficiários recebidas pela ANS nos últimos três meses, a Clinipam teve 1,7 reclamação para cada 10 mil usuários. Já a Notre Dame recebeu 3,8 reclamações para cada 10 mil usuários. Na colocação do Índice Geral de Reclamações, em setembro de 2019, a Clinipam ocupava o 56º lugar, enquanto a Notre Dame foi a 33ª apontada na lista.

Dentre as principais contestações envolvendo cada uma, estão:

*CLINIPAM

1-Procedimentos e coberturas (geográfica e assistencial): 24%

2-Gerenciamento das ações de saúde (autorizações, franquias, co-participação e outros): 19%

3-Prazos máximos para atendimento: 17%

4-Carência: 8%

5-Suspensão e Rescisão Contratuais: 5%

*NOTRE DAME

1-Gerenciamento das ações de saúde (autorizações, franquias, co-participação e outros): 21%

2-Suspensão e Rescisão Contratuais: 18%

3- Procedimentos e coberturas (geográfica e assistencial): 13%

4- Prazos máximos para atendimento: 12%

5-Rede de Atendimento (rede conveniada): 8%

As notificações recebidas pela ANS com indício de infração resultam em processos administrativos. Na classificação geral do Índice de Abertura de Processos, a Clinipam está em 59ª, enquanto a Notre Dame aparece em 61º lugar na lista.

Com relação a reclamações solucionadas pelas empresas, na classificação do Percentual de Finalização Assistencial, a Clinipam registra 25% de resolução, enquanto a Notre Dame aponta 18% dos conflitos resolvidos.

Já no Programa de Qualificação de Operadores da ANS, ambas estão bem posicionadas quando se fala em sustentabilidade no mercado e qualidade em atenção à saúde. Os dados caem um pouco na garantia de acesso, ou seja, nas condições relacionadas à rede assistencial, que envolve a rede de prestadores de serviços. Neste quesito, no qual a nota máxima é 1, a Clinipam alcançou 0,57 pontos e a Notre Dame 0,75.

“Estou muito satisfeita com o atendimento da Clinipam espero realmente que, se for mesmo vendida, não baixe a alta qualidade do seu atendimento”, aguarda Rosana Chiuratto, uma das beneficiárias do grupo paranaense.

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você entra na nossa lojinha, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Um comentário sobre “Conheça a empresa que comprou a Clinipam (e vai assumir 334 mil ‘vidas’)

  1. Boa Noite
    Ontem fiquei a tarde inteira para falar com os atendentes, ninguém teve a capacidade de me atender, então entrei no facebook, para poder resolver os meus assuntos de interesse e foi assim que soube que a Cliniplam foi vendida, porque os beneficiários não foram avisados? E ficaram de fora desta notícia? Euc reio que isto seja um descaso muito grande da parte da Cliniplam, não avisando os seus beneficiários. Desde já agradeço.
    Debora Sartori

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias