Elenco curitibano é a grande estrela em novo clipe de Leticia Sabatella | Jornal Plural
4 maio 2021 - 8h53

Elenco curitibano é a grande estrela em novo clipe de Leticia Sabatella

Com sensibilidade e recursos tecnológicos, a arte resiste à pandemia na produção musical/audiovisual

Um respiro poético, um chamado para a coletividade, uma forma de abraço sem tocar: Por que você, clipe dirigido e interpretado por Leticia Sabatella com participação de grande elenco curitibano, fala das angústias da vida restrita pela pandemia do coronavírus. A produção também está disponível em libras.

Embora não esteja em primeira pessoa, Por que você é sobre alguém que fala a si mesmo; que em meio a uma crise, diante da morte, passa a ter consciência da finitude e a questionar o que está fazendo da vida, “o porquê dessa pressa sem alma e desse jeito de viver morrendo”. 

Gravado em janelas e pontos conhecidos da capital paranaense, o videoclipe foi todo construído à distância, respeitando o que Leticia chamou de “a ética necessária do não encostar, de não ter proximidade de risco”. 

A primeira imagem que veio à cabeça da diretora, ao ouvir a música, foi a de um close de olhar para si mesma no espelho em tom de reflexão, de questionamento. Depois, teve uma ideia que permitiria visitar os artistas em suas casas sem os expor ao risco do contato humano. 

O convite para participar do trabalho chegou ao ator Pedro Inoue com a mensagem: “Pensando em te visitar de drone”. Na sequência, Leticia enviou a canção e o poema. “A pergunta ‘o que você está fazendo da vida?’ realmente vem como um cântico no peito. É como se nós, impossibilitados da rua, de velar os nossos próximos, de abraçar, de viver, nós estivéssemos com um nó, um grito mudo urgente preso em nossas casas. Então essa visita foi extremamente carinhosa. Ver a cidade, os amigos artistas e a arte, em si, nos visitando, deu de certo modo um apoio e um respiro”, diz o artista.

O encontro — mediado por um drone que gravou várias cenas do material — foi a maneira que a diretora achou para encurtar as distâncias, prestar homenagem aos artistas e entregar o produto exigido pelo edital em que foi aprovado.

As notas que deram nova vida à composição de Juliano Holanda foram gravadas individualmente, cada integrante em seu homestudio. De acordo com Leticia, a distância não impediu o trabalho colaborativo de construção, desconstrução e pesquisa sonora, que resultou em um contemporâneo-pop, carregado de experimentalismo e criatividade. Quem assiste identifica tudo isso e principalmente a delicadeza que dá o ritmo para a obra.

“A Leticia é uma cantora que tem uma linguagem muito estruturada, ela tem uma coisa da visão do teatro que ela traz à interpretação da música e acho que casou muito bem com a composição, que tem uma coisa discursiva, quase como um fluxo de pensamento. Potencializou muito. O clipe colocou a música, que foi escrita há 10 anos, no tempo de agora de um jeito muito concreto. Me senti muito representado”, conta Juliano.

A música termina mas a voz continua, e quem assiste é surpreendido com uma profecia narrada pelo poeta e compositor Luiz Felipe Leprevost. Quando Leticia chamou o autor para escrever uma poesia para o projeto, esperava algo introspectivo, mas “veio algo que era uma pulsão de vida”. O contraste entre o caráter distópico da música e o otimismo do poema a encantou. “Ele traz essa poética linda ‘quando tudo isso passar, nós vamos para rua e a rua não será a mesma’. Essa mudança de paradigma necessária para a humanidade continuar com mais delicadeza é uma proposta muito bonita. A gente precisa desses poetas profetas para poder ter essa porção de luz poética em nós, para poder dar conta”, conta a diretora.

Para o poeta, participar do projeto foi, na verdade, “um chamado para a coletividade” ao lado dos amigos e fazedores de arte. “É uma alegria gigante saber que o que a gente faz, de algum modo, interessa ao diálogo artístico e a um coletivo, a uma comunidade”, diz Leprevost.

Aldir Blanc

A ideia de um trabalho conjunto entre a Casa de Artes Helena Kolody e Leticia Sabatella nasceu em 2019, mas só se tornou possível um ano depois, com o edital emergencial da Fundação Cultural de Curitiba – Lei Aldir Blanc. A proposta foi reunir a maior quantidade possível de artistas e técnicos, para destinar o recurso a uma das classes mais atingidas pela impossibilidade do encontro durante a pandemia.

“É parte da nossa responsabilidade usar esse mecanismo, mesmo os cachês sendo muito abaixo do mercado, mas possibilitar através de um projeto como esse a distribuição de alguma renda a um número um pouco maior de colegas de trabalho e de profissionais de outras áreas também,  como o marketing, a assessoria de imprensa, os técnicos, o studio, enfim, de toda a cadeia produtiva. É isso que tem feito com que a classe tenha se mantido nesse mais de um ano que nós estamos impossibilitados de trabalhar”, afirma o produtor Emerson Rechenberg, da Casa de Artes Helena Kolody.

Novo disco

O clipe marcou o lançamento da coletânea Poética da Terra em Crise no último dia 24. O projeto, idealizado por Leticia e construído por uma equipe de cerca de quarenta pessoas, entre artistas e técnicos, traz canções interpretadas pela atriz e cantora, produção musical de Eugênio Fim e composições de Juliano Holanda, Luiz Felipe Leprevost, Zélia Duncan, Chico Paes, Octávio Camargo e Tio Tonho Champoski, além de um poema de João Cabral de Melo Neto. Leticia escolheu poesias e músicas que traduziam de forma íntima e sensível a somatória de crises vividas atualmente no Brasil. 

As canções estão disponíveis no YouTube, no canal da Casa de Artes Helena Kolody, responsável pela produção do trabalho. Quem quiser entender mais do processo e chegar mais pertinho do elenco pode assistir aos encontros virtuais organizados por Emerson no mesmo canal e na página do Facebook. 

Zelia Duncan e Inês Cabral conversam sobre poesia em crise em live de encerramento na Casa de Artes Helena Kolody.
Foto: Reprodução/YouTube

Serviço

Clipe Por que você
YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=DxhvJq2kxmU

Versão com Libras
YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=APoBGkUw22Q

Casa de Artes Helena Kolody
Facebook: https://www.facebook.com/casadearteshelenakolody

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias