4 set 2021 - 11h55

Você sabe guardar segredo?

A divulgação de informações sigilosas pode gerar prejuízo, causar exposição negativa à empresa, impedir que negócios sejam fechados, ou fazer com que contratos possam ser rescindidos

Quando você assina um contrato, seja como consumidor, funcionário ou na condição de sócio de sua empresa, existe uma série de regras que devem ser cumpridas por você e pela outra parte.

A boa-fé das partes, a lealdade, e a preservação dos envolvidos são pontos fundamentais.

Entre as cláusulas que estabelecem as regras dessa relação contratual, está a cláusula de confidencialidade, para garantir a preservação de informações relacionadas à empresa, tais como a transmissão de know how, estratégias de marketing, ou mesmo a situação financeira em que a empresa se encontra.

Mas o que essa cláusula quer dizer na prática?

Essa cláusula tem relação com a confiança entre as partes! Com preservar as informações que foram compartilhadas para o desenvolvimento do trabalho.

E esse sigilo não se aplica somente ao ambiente corporativo, ele acompanha você em casa, na academia, e até naquela conversa boa no bar com os amigos!

A confidencialidade não alcança somente você, como empresário, mas também vincula seus funcionários, que têm a responsabilidade de não revelar informações sensíveis, de caráter sigiloso.

Quando essa cláusula é quebrada, as consequências podem ser desastrosas!

A divulgação de informações sigilosas pode gerar prejuízo, causar exposição negativa à empresa, impedir que negócios sejam fechados, ou fazer com que contratos possam ser rescindidos.

Para ajudar você a compreender melhor essa situação, segue um exemplo de um cliente empresário que passou por uma situação como essa:

Felipe, funcionário da empresa A, era responsável por atender os clientes da empresa. Entre eles, atendia a sócia da empresa B.

Em razão da proximidade na relação entre Felipe e a sócia da empresa B, este passou a revelar segredos da empresa A, alterações na forma de desenvolvimento do trabalho, quais técnicas a empresa utilizava, como realizava o atendimento ao cliente, e até informações relativas a outros clientes da empresa A.

Desconfiada, a sócia da empresa B, perdeu a confiança no serviço prestado pela empresa A, e tomou a decisão de encerrar a relação entre as duas empresas.

Essa decisão causou um prejuízo à empresa A, e o funcionário foi responsabilizado por não ter mantido o sigilo das informações.

Quando os envolvidos não cumprem essa cláusula, quando revelam esses segredos, podem ser penalizados com o pagamento de multas, e até mesmo de indenizações a quem foi prejudicado.

Na dúvida, o melhor a ser feito é guarda esses segredos confiados à sua empresa, a sete chaves.

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias