3 mar 2022 - 16h17

Com nível dos reservatórios em 84%, risco de novo racionamento de água em Curitiba fica distante

Dos 346 municípios paranaenses atendidos pela Sanepar, apenas Colombo mantém o racionamento

Apesar de fevereiro ter chovido menos que o esperado em Curitiba, a capital não corre risco de um novo racionamento de água. De acordo com a última atualização da Sanepar, na manhã desta quinta-feira (3), o nível geral nos reservatórios que compõem o Sistema de Abastecimento de Água Integrado de Curitiba (Saic) é de 84,81%, longe de uma situação de crise hídrica. 

Em entrevista coletiva realizada no dia 19 de janeiro, no Palácio Iguaçu, a Sanepar garantiu que não existe risco de rodízio para este ano nas cidades abastecidas pelas barragens do Saic. No entanto, as variáveis para implantação do racionamento são os níveis de chuvas, de consumo e temperatura, fatores que não são controlados pela empresa.

Conforme a companhia, três das quatro barragens que formam o Saic atingiram mais de 80% da capacidade. As barragens Iraí, Piraquara 1 e Piraquara 2 registram, respectivamente, 95,27%; 89,06% e 100,00% de reserva de água. A única que está abaixo dos 80% é a barragem de Passaúna, que apresenta 62,17% da sua capacidade total.

Dos 346 municípios atendidos pela empresa, apenas Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), mantém o rodízio de água até o próximo domingo (6). O motivo do racionamento que atinge 20% da cidade, conforme a Sanepar, é que esta não é uma área abastecida pelas barragens e, sim, por poços do Aquífero Karst, que ainda estão com vazão reduzida devido à estiagem.

O racionamento está estabelecido para a região central de Colombo, que abrange os bairros Butiatumirim, Fervida, São João, Santa Gema, Cercadinho, Serrinha, Itajacuru, Parque Embu, Arruda, Santa Tereza, Jardim Florença, Gabirobal, Uvaranal, Sapopema, Curitibano, Santa Fé, São Gabriel, Ana Rosa e Roça Grande.

Chuvas

Chuva em Curitiba, em 2019. Foto: Gilson Abreu/ANPR

Levantamento divulgado pelo Simepar mostra que a chuva em fevereiro ficou abaixo da média histórica na maior parte das cidades do Paraná. O déficit foi registrado em várias regiões do estado, sendo que Curitiba fechou o mês com 101,2 mm de acumulado, menos que a média prevista de 147,9 mm de chuva.

A previsão para esta semana, segundo o Simepar, é de instabilidade e temperaturas altas em todo o estado. São esperadas chuvas acompanhadas de descargas elétricas, além da possibilidade de tempestades e rajadas de vento fortes em alguns pontos.

O Plural é um jornal independente mantido pela contribuição de nossos assinantes. Ajude a manter nosso jornalismo de qualidade. Assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. E passa a fazer parte da comunidade mais bacana de Curitiba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

Radiocaos Sueto

Radiocaos Sueto Neste episódio os textos e ideias ao léu de Andressa Nuss, Jorge Luis Borges, Ronaldo Conde Aguiar, Marcelo Sandmann, Carlos Careqa, Amarildo Anzolin, Salvatore Quasimodo, Wally Salomão, Carlos Drummond de Andrade, Ivan Justen Santana, Tom Waits, Livia Lakomy, Maria Luiza Lago, Marilia Kubota, Mauricio Pereira, William Shakespeare com Miguel Falabella, Julia Graciela, Jean Garfunkel, Roberto Prado, Alice Ruiz, Reynaldo Jardim, Luci Collin, entre outros incansáveis das letras.

Redação Plural.jor.br

É de graça


E vai continuar assim. Mas o nosso trabalho só existe porque ele é financiado por você, leitora e leitor, e por parceiros. Ajude o Plural a continuar independente. Apoie e assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

Já é nosso assinante?
Faça seu login com email ou nome de usuário

Não é assinante?  Assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

This will close in 20 seconds