Colégio Militar de Curitiba mantém provas presenciais em outubro | Jornal Plural
Clube Kotter
9 set 2020 - 20h51

Colégio Militar de Curitiba mantém provas presenciais em outubro

Datas dos testes foram autorizadas pela Prefeitura; inscrições vão até 2 de outubro

Mesmo com os casos de Covid-19 em um patamar alto e as escolas de portas fechadas há quase seis meses, o período de aplicação das provas presenciais do Colégio Militar de Curitiba (CMC) não foi postergado. Segundo edital publicado nesta terça-feira (8) pelo Ministério da Defesa, órgão ao qual a instituição está vinculada, os exames para o processo seletivo 2020/2021 serão nos próximos dias 17 e 18 de outubro, datas consentidas pela Prefeitura da Capital.

Por causa da pandemia, instituições de ensino de todo o país estão revendo seus calendários de testes seletivos. A Universidade Federal do Paraná (UFPR) prorrogou para janeiro e, depois, adiou para fevereiro seu vestibular. As universidades estaduais também optaram por propor datas posteriores e, assim, tentar diminuir o risco e o prejuízo de alunos sem aulas.

No entanto, o CMC e os outros 13 colégios militares espalhados pelo Brasil não se descolaram muito dos cronogramas anteriores. Em 2019, num contexto sem a crise do coronavírus, as provas foram no fim de setembro. As instituições usam o processo como seleção de alunos para o 6º ano do Ensino Fundamental e para o 1º ano do Ensino Médio.

Bem colocadas em rankings de desempenho de ensino, as escolas militares costumam ter procura bastante alta, apesar das vagas limitadas. Em Curitiba, o processo deste ano tem 30 vagas para o 6º ano e cinco para ingresso no Ensino Médio, a mesma quantidade ofertada no ano passado – quando a disputa chegou a 75 candidatos por vaga.

Por isso, as provas ocorrem em clima de vestibular, com cursinhos preparatórios, movimento intenso e aglomeração nos arredores dos locais dos exames, conforme mostrou o Plural. A espera de familiares do lado de fora dos portões é praxe e continuará sendo permitida “em locais previamente determinados”, diz o Manual do Candidato do CMC, sem dar maiores detalhes.

Mas ao contrário das edições passadas, a 1ª etapa do curso de admissão dos colégios militares para 2021 concentrará as questões de Matemática, Língua Portuguesa e Redação em um só dia. Antes, a prova de Matemática era a primeira a ser aplicada e determinava quem seguiria para as fases seguintes. Nem o edital nem o Manual do Candidato deixam claros os motivos da alteração – se é ou não por causa da crise do coronavírus – mas garantem 4h30 para que os alunos respondam a todas as 24 questões, mais a Redação.

Contudo, o processo não modificou etapas anteriores às provas que também exigem comparecimento presencial. Acesso e entrega de requerimentos para a isenção da taxa de inscrição seguem sem alternativa virtual. O Ministério da Defesa também decidiu manter a chamada ‘ambientação dos candidatos’, espécie de simulado prático para o dia da prova que reunirá os inscritos in loco uma semana antes da aplicação dos testes.

A Prefeitura de Curitiba afirmou ter consentido a realização dos exames. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), o governo federal comunicou a pasta sobre as provas por meio de um ofício, e o assunto foi debatido na 12ª Reunião do Comitê de Técnica e Ética Médica. A SMS disse que o grupo entendeu que as provas poderão ser realizadas desde que cumpridas as medidas de segurança estabelecidas por resolução municipal, e que devem ser considerados também os critérios epidemiológicos e assistenciais da cidade no período de aplicação dos testes.

Triagem antes da prova

Referências a protocolos de segurança contra a disseminação do coronavírus na seleção dos colégios militares deste ano não estão sobrando no edital do Ministério da Defesa, pasta considerada central no governo de Jair Bolsonaro (sem partido). Capitão reformado do Exército e entusiasta da disciplina curricular das Forças Armadas, o presidente já menosprezou diversas vezes os efeitos da pandemia provocada pelo Sars-CoV-2.

O edital do processo vincula o protocolo sanitário da etapa de provas a uma responsabilidade do candidato e determina a obrigatoriedade do uso de máscara durante todo o tempo de permanência no local dos exames. De acordo com o documento, as máscaras poderão ser em tecido, descartável ou reutilizável, mantendo a boca e o nariz cobertos. Para candidatos com deficiência ou os que tentam vaga para o 6º ano do Ensino Fundamental também será permitido o uso de protetor facial tipo face shield.

Além de caneta, lápis e borracha, os estudantes podem entrar com alimentos e garrafa d‘água, mas não há referências a frascos de álcool gel.

Já o Manual do Candidato exclusivo do Colégio Militar de Curitiba é mais específico e estabelece um sistema de triagem como protocolo principal. De acordo com a instituição, os estudantes serão entrevistados e terão a temperatura medida antes do começo das provas. Alunos com sintomas serão encaminhados para avaliação médica e, caso haja suspeita, não poderão fazer a prova. Candidatos isolados por causa da Covid-19 nas datas do processo também não terão direito a um calendário alternativo.

Em nenhum dos guias há menções a medidas exclusivas para alunos que integram o grupo de risco da Covid-19.

Protocolo

O Ministério da Defesa não se manifestou sobre a escolha das datas, mas respondeu, por intermédio do Exército Brasileiro, que o assunto será discutido pelo Grupo de Trabalho do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx) e que as respostas serão emitidas posteriormente.

Em resposta ao Plural, o CMC declarou que, em relação à segurança sanitária do concurso, “serão atendidas todas as determinações protocolares emitidas pelas autoridades estaduais e municipais de saúde, tais como o uso de máscara, aferição de temperatura, uso de álcool gel 70, desinfecção das salas por equipes especializadas, manutenção do distanciamento, minimização da circulação de responsáveis, dentre outras”.

As inscrições para as provas do Colégio Militar de Curitiba para 2020/2021 começaram nesta terça-feira e seguem até o dia 2 de outubro, exclusivamente pela internet. A taxa é de R$ 95. O contato para esclarecer dúvidas pode ser feito pelo telefone (41) 3361-0563 ou pelo e-mail [email protected].

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias