Chapa candidata à Reitoria da UFPR é suspeita de plágio em carta a servidores | Jornal Plural
28 ago 2020 - 20h28

Chapa candidata à Reitoria da UFPR é suspeita de plágio em carta a servidores

Os professores Horácio Tertuliano e Ana Paula Cherobim teriam copiado duas páginas do programa de gestão apresentado para universidade de PE, em 2015

Quatro dias antes da eleição, a campanha para escolha do novo reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR) pode ganhar novos contornos, isso porque servidores da Universidade estão acusando os candidatos à Reitoria Horácio Tertuliano e Ana Paula Cherobim – ambos professores da UFPR há 25 anos – de plagiar uma carta enviada por e-mail para funcionários da instituição.

A carta recebida pelo Plural foi um comunicado interno para servidores da UFPR, e contém três páginas explicativas sobre os princípios e diretrizes da chapa 1, batizada de ‘UFPR Forte’. No entanto, o comunicado de divulgação dos candidatos copia trechos idênticos de um plano de gestão elaborado por Luis Valotta e Jaime Macedo, que concorreram aos cargos de reitor e vice-reitor, nas eleições de 2015 da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), que fica em Petrolina (PE).

Os trechos copiados vão do último parágrafo da página 7 até o fim da página 9 do plano elaborado pelos então candidatos ao comando da Univasf. A possibilidade de plágio foi alertada por servidores da Universidade, sendo que alguns compartilharam os textos nas redes sociais.

Foto: Redes Sociais

A cópia de um texto completo ou de maneira parcial, sem dar os devidos créditos ou sem autorização do autor, é considerada crime no Código Penal Brasileiro, que tem uma sessão que trata especificamente Crimes Contra a Propriedade Intelectual. A violação dos direitos do autor podem levar a detenção de três meses a até quatro anos de prisão, além de multa, a depender da gravidade do acontecimento.

O Plural conversou com o professor Horácio, candidato à reitor da UFPR por telefone. Ele afirmou não saber do que se tratava o possível plágio e pediu para que a pergunta fosse enviada à sua equipe de campanha. Apesar da coordenação de sua campanha não ter retornado, o candidato abordou a questão durante live no Instagram da Associação dos Pós-Graduandos (APG-UFPR).

Horácio afirmou que sua campanha foi estruturada por técnicos administrativos, professores e alunos do programa de Pós Graduação da Universidade. Segundo ele, a sua chapa recebeu contribuições diversas, chegando a ser procurada por uma pessoa externa à instituição, que teria oferecido ajuda à campanha. O candidato destacou que uma professora com conduta ilibada conversou com o indivíduo, mas disse que não soube do desfecho da história.

O candidato da chapa 1 ainda garantiu que, se houve plágio, vai se desculpar com quem quer que tenha sido plagiado. “Posso lhes garantir que mesmo assumindo erros, não existiu em nossa gestão nenhum desvio de verba”, atacou Horácio, em referência direta ao seu adversário nas eleições da UFPR.

O presidente da APG-UFPR e apresentador da live, Antonio Carlos Gonçalves Filho, questionou Horácio sobre a sua declaração – em que acusava a chapa 2 de ter assinado documentos sem ler, quando ocorreu o esquema de desvios de bolsas de pesquisa na UFPR – relacionando ao fato atual, já que o candidato disse não ter conhecimento do teor da carta divulgada aos servidores da UFPR.

Em resposta, Horácio sustentou que em um processo político longo, com uma reunião atrás da outra, chegou a delegar algumas atividades a pessoas de sua confiança. “Eu assumo todo e qualquer erro, mas a gente tem que saber do que se trata, isso tem que chegar em nosso jurídico para que a gente saiba como agir. Eu quando sento na minha cadeira de diretor, eu assino todo processo, lendo, o professor Horácio é uma pessoa ilibada”, afirmou o candidato.

Por fim, Horácio terminou sua fala dizendo o seguinte: “Estou aqui para me desculpar, não tenha ideia do que está acontecendo. Apuraremos os fatos e é claro que pedirei desculpa para essa comunidade”.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias