Trupe Ave Lola estreia podcast no Spotify para conversas e leituras | Jornal Plural
26 ago 2020 - 18h30

Trupe Ave Lola estreia podcast no Spotify para conversas e leituras

Com a pandemia, atores e atrizes migram para o streaming animados a explorar a relação entre rádio e teatro

“Você deve estar se perguntando por que uma trupe de teatro resolveu ter um podcast?”, diz a voz feminina que abre o episódio zero do podcast da Trupe Ave Lola, uma das companhias de teatro mais famosas de Curitiba. “Não pensem que foi uma decisão simples.”

A voz é da diretora Ana Rosa Genari Tezza. Em seguida, ela leva a pergunta para o iluminador Beto Bruel. “Eu acho que tem que inventar um podcast porque, você veja, em 1924, a primeira transmissão de rádio em Curitiba aconteceu onde? Na casa do Fido Fontana”, diz Bruel, para em seguida explicar que Fontana tinha um teatro perto do Colégio Estadual, o Teatro da Glória. “Essa parceria [entre rádio e teatro] não é de hoje”, arremata o iluminador.

Ana Rosa Genari Tezza (no centro), diretora da Trupe Ave Lola. (Divulgação)

O rádio

Com os teatros fechados desde março, os artistas buscam alternativas de trabalho durante a pandemia. E a proximidade do teatro com o rádio – e, por consequência, com o podcast – é mesmo enorme. E não só por causa do Fido Fontana.

Afinal, antes da televisão, havia o rádio. E depois da televisão, ele continuou existindo, claro. A ideia da Ave Lola é ler textos e fazer bate-papos sobre temas que têm a ver com o teatro e com os espetáculos que realizados pela trupe.

No episódio zero, a atriz Regina Bastos conta como foi a uma loja e acabou sendo reconhecida pelo vendedor. “Você não fez uma benzedeira numa peça de teatro?”, perguntou o vendedor. Regina diz ter ficado muito feliz porque o vendedor a reconheceu pela voz. O argumento dela é que o trabalho de um ator envolve muito a voz, como é o caso dos dubladores, por exemplo.

Dois

O perfil da Ave Lola no Spotify terá dois programas. O “Conversas na coxia”, que deve trazer pessoas de outras áreas para falar sobre temas ligados à arte. A princípio, eles devem abordar um tema ligado à peça “Manaós – Uma saga de luz e sombra”, que envolveu muita pesquisa sobre a Amazônia.

O segundo programa é o “Boca de cena”, que deve estrear no dia 6 de outubro, feito de leituras dramáticas de três contos do escritor russo Anton Tchekhov (1860-1904).

As duas produções serão feitas pelo pessoal da Trupe Ave Lola, com sonoplastia dos músicos Breno Monte Serrat e Arthur de Lima Jaime.

Podcast

O perfil da Ave Lola, no Spotify, terá episódios semanais sempre às terças-feiras, às 20 horas. O episódio zero, que explica a proposta do grupo, já está disponível e argumenta que o verdadeiro pai do rádio foi um padre brasileiro.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assuntos:

Últimas Notícias