A “viagem” de cada um | Plural
25 jun 2019 - 7h00

A “viagem” de cada um

Francisco Camargo conta da fixação de um amigo por gentílicos

Como se dizia antigamente, cada louco com sua mania. E existem muitos, é claro, mas nem todos incomodam a vizinhança. É o caso de um amigo que adora encarar desafios quando se trata de gentílicos. Vem daí o seu apelido de caçador de gentílicos. Mas, depois de vencer muitos desafios pelas ruas de Curitiba, ao observar placas de veículos de outras cidades, caiu do cavalo. Não era pra menos.

Foi durante breve estada na Bahia, mais precisamente em Salvador. Graças a suas leituras, lá chegou já sabendo que quem nasce na capital baiana é soteropolitano – ou salvadorense. No primeiro caso, por conta de Soterópolis – uma antiga cidade grega, erigida por um certo imperador Sotero. Em latim, Sotero vem a ser Salvador. O gentílico salvadorense, apesar de registrado em dicionários, não emplacou.

“Atropelado” pelas placas

No primeiro dia, em breve caminhada, topou com um carro com placa de Cocos. Anotou. Uma quadra adiante, um caminhão tinha placa de Cansação. Anotou. Um fusquinha, placa de Cabeceiras do Paraguaçu. Pausa para o almoço. Tremendo repasto. Voltando à rua, eis que surgem quatro carros: o primeiro, de Baianópolis; o outro, de Água Fria e, o terceiro, de Boa Vista do Tupin. O quarto, de Serrolândia.

Na volta, com os nomes devidamente anotados, ao dobrar a esquina se deparou com um ônibus estacionado em frente ao hotel. Placa de Governador Mangabeira. Mais uma anotação. A última: o rapaz da portaria era de Xique-Xique. Nada a ver com o nosso saudoso Chic-Chic.

Passou o resto do dia à cata dos gentílicos.

Quem nasce em Cocos é coquense. Em Cansação, cansançãoense; Cabeceiras do Paraguaçu, cabaceirense; Baianópolis, baianopolense; Água Fria, água-friense; Boa Vista do Tupin, tupinense; Serrolândia, serrolandense; Governador Mangabeira, mangabeirense; e, finalmente, Xique-Xique: xiquexiquense.

E, como ninguém é perfeito, foi dormir sem descobrir o gentílico de Jijoca de Jericoacoara, que fica no Ceará, e de Nova Iorque. Isso mesmo, Nova Iorque, Maranhão.

 

Leia mais artigos de Francisco Camargo

País do futebol – qual deles?

Capital e trabalho (de braços dados?)

Últimas Notícias

Humor solar

Como a cartunista Pryscila Vieira conquistou um mundo chefiado por homens e hoje estuda astrologia para traduzir as estrelas em suas tirinhas

Ana Justi