Letra e música: você sabe a diferença entre songwriter e composer? | Plural
27 mar 2019 - 11h30

Letra e música: você sabe a diferença entre songwriter e composer?

No Brasil, ambos são chamados de “compositor”, mas há diferenças, explica Daniel Derevecki

Há dois profissionais na área musical, também ligados ao cinema, que são facilmente confundidos no Brasil: o songwriter e o composer. A mistura ocorre pela falta de vocábulos que os definam, uma vez que no português ambos são chamados de “compositor”. De modo geral, o songwriter é um “escritor de canções” e o composer um “compositor” ou “maestro”.

Por mais que haja muitas semelhanças (a começar pelo objeto de trabalho de ambos, que é a música) tecnicamente são diferentes. Um escritor de canções lida com a melodia, a harmonia e o ritmo relacionados ao texto, algo para ser cantado e que traga significado. Já o compositor trata das questões referentes à forma, aos arranjos, à orquestração, à regência no palco e no estúdio, dentre outras coisas.

O songwriter, apesar de ter na “palavra” uma de suas matérias-primas, não é exatamente um poeta. Também sua obra não é feita originalmente para ser lida como poesia, até porque o processo de criação da canção popular difere do da poesia. O pesquisador Luciano Cavalcanti, autor de um estudo que busca paralelos entre a canção de Chico Buarque e a poesia de Manuel Bandeira, explica que a canção é basicamente letra e música, feitas para funcionarem juntas, como uma coisa só. Já a poesia, apesar de possuir ritmo e sonoridade, é construída de forma independente da música. Ele defende que um tipo de criação artística não é melhor do que o outro, apenas são coisas diferentes.

 Perguntas e respostas

Muito bem, agora que os profissionais já estão apresentados vamos problematizar:

O que significa “letra e música” nos créditos de um videoclipe?

Significa que alguém escreveu o texto e outro compôs a melodia e a harmonia dessa canção.

Uma mesma pessoa pode fazer as duas coisas?

Pode.

Que nome se dá a quem escreveu só a letra?

Bom, daí entra mais alguém na jogada, que é o lyricist, ou letrista. Explico: em nosso país há muitos songwriters de primeiro time, como Tom Jobim, Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Oswaldo Montenegro, entre outros. Há também muitos letristas famosos, ligados à poesia, que trabalharam em parceria com esses e outros nomes. O mais proeminente deles talvez seja Vinicius de Moraes, que imortalizou a “Garota de Ipanema” com a música de Tom. Chico também escreveu letras para melodias de Tom; e assim vai. Todos são escritores de canções, ou compositores, conforme o nosso dicionário. Mas qual deles era composer? Tom Jobim era, Vinicius. Entende a diferença?

Pensando na indústria fonográfica, para situar melhor, o songwriter é quem escreve a canção e o composer quem a transforma em um produto. Ambos estão presentes no cinema, inclusive sendo premiados em categorias diferentes no Oscar, como “Melhor Canção Original” e “Melhor Trilha Sonora”, prêmios que levam em conta as características profissionais que mencionei.

Qual deles é mais importante?

Da mesma maneira como não existe uma hierarquização entre canção e poesia, também não há entre songwriter e composer, simplesmente são atividades diferentes que se complementam.

Letra e Música

Por falar nesse complemento, um filme que trata exatamente do processo de produção de uma canção é Letra e Música (2007), dirigido por Marc Lawrence e estrelado por Hugh Grant e Drew Barrymore.

Grant dá vida a Alex Fletcher, um decadente astro da cena pop dos anos oitenta que recebe uma proposta inimaginável: compor e gravar uma música para um show em Nova Iorque com uma cantora que seria um tipo de Anitta norte-americana. Perfeito, seria o renascimento de sua falecida carreira. O problema: a música teria que ter o título Way Back Into Love e precisaria estar pronta obrigatoriamente em três dias, para ser gravada a tempo de estrear dali a duas semanas no Madson Square Garden.

Desesperado, Grant/Fletcher, que sempre foi um composer, não um songwriter, busca por um lyricist para juntos formarem uma parceria. É aí que aparece uma esquisita Sophie Fisher (Drew), cuidadora de plantas e autora de poemas nas horas vagas. Ele enxerga nela a letrista que procura e a convida para trabalharem juntos. A paixão entre os dois se desenvolve paralelamente ao processo de composição da canção. Nem preciso dizer que Way Back Into Love foi um sucesso, daqueles que você coloca no repeat, uma Shallow da década passada, só que melhor.

O filme está disponível para alugar através do Youtube e a trilha sonora você confere no Spotify. Como sempre, não esqueça de estourar a pipoca antes de curtir a ótima seleção musical desse filme Sessão da Tarde.

Way Back Into Love

https://open.spotify.com/track/0zYP35FfMItfaP6c9gcQZB?si=WaBrSYPZS_S6TefBLfFSiA

Álbum Completo da Trilha Sonora

https://open.spotify.com/album/67icItKFH7ZFd5FdAZdlhI?si=6j9Ls2yGQ0yEnbKqNb-lLQ

 

Últimas Notícias