A vida é como um jogo de xadrez. Exige parceiros | Jornal Plural
Clube Kotter
27 abr 2020 - 20h09

A vida é como um jogo de xadrez. Exige parceiros

Francisco Camargo fala da busca de soluções para passar o tempo durante a quarentena

Como dizia Mahatma Ghandhi, a minha fé, nas densas trevas, resplandece mais viva.

Tempos extremamente bicudos e, como se não bastasse o festival de barbaridades (diárias) do Bolsonaro, temos ainda a quarentena. Aí, um conhecido decidiu se socorrer no jogo de xadrez. Mas, neófito no assunto,  tratou de ver as regras:

São 32 peças, 16 brancas e 16 pretas. Sendo que ambas as cores possuem: duas Torres, dois Cavalos, dois Bispos, uma Dama, um Rei e oito Peões. Tabuleiro – 64 casas, claras e escuras. Objetivo – Impor o xeque-mate ao adversário ou o seu rendimento.

Definições: Xeque – Rei sob ameaça de captura. Xeque-mate – Rei sob ameaça de captura sem que tenha como escapar. Captura – determinada peça toma a posição de uma outra peça adversária. Esta é removida da partida. Histórico da partida – Notação de todas as jogadas feitas em uma partida.

Salvar partida – Guardar uma partida para poder jogar em outra hora. (Opção disponível somente na sala “galera”). Carregar partida – Continuar uma partida previamente salva. (Opção disponível somente na sala “galera”). O tabuleiro deve ser posicionado de modo que a 1.ª casa a esquerda de cada jogador (casa “a1” para as peças brancas e “h8” para as peças pretas) seja da cor preta. O jogador que estiver com as peças brancas começa o jogo, podendo fazer o primeiro movimento. A seguir, os jogadores alternam jogadas até o fim do jogo.

Movimentação das peças

Torre – A movimentação da torre se dá somente de forma horizontal (linhas do tabuleiro) ou vertical (colunas do tabuleiro). Bispo – Esta peça se movimenta somente nas diagonais do tabuleiro. Dama – Uma dama pode se movimentar tanto na horizontal como na vertical (assim como uma torre) ou nas diagonais (assim como um bispo). Rei – Se movimenta em qualquer direção, mas com limitação quanto ao número de casas. O limite de casas que um Rei pode se deslocar é de uma casa por lance. O rei NUNCA pode fazer um movimento que resulte em um xeque para ele.

Peão – O peão somente pode fazer movimentos adjacentes à sua posição anterior, isto é, não pode retroceder. O Peão, assim como o Rei só pode deslocar-se 1 casa à frente por lance, no entanto, quando o Peão ainda está na sua posição inicial, este pode dar um salto de duas casas à frente. Cavalo – É a única peça que pode “saltar” sobre outras peças. A movimentação do cavalo é feita em forma de L, ou seja, anda duas casas em qualquer direção (vertical ou horizontal) e depois mais uma em sentido perpendicular.

Nenhuma peça, quando deslocada, pode ocupar uma casa que já está sendo ocupada por outra peça da mesma cor. Quando a casa de destino de uma peça, em movimento, estiver sendo ocupada por uma peça de cor adversária, a peça em movimento efetuará a captura da adversária. A captura feita por peças do tipo Peão só é possível quando a peça a ser capturada estiver deslocada uma linha à frente e 1 coluna à direita ou à esquerda. A captura se dá na diagonal.

Movimentos especiais

Roque – É um movimento que envolve duas peças da mesma cor. São elas o Rei e qualquer uma das torres. O roque é feito ao mover o rei duas casas para qualquer lado na horizontal. Para se fazer um roque é obrigatório satisfazer as seguintes condições:

– O Rei não pode ter sido mexido até o momento do roque. Tem que estar na posição inicial. Assim como o Rei, a Torre também não pode ter sido mexida, portanto deve estar na sua posição inicial. As casas pelas quais o Rei irá passar não podem estar sob ameaça das peças adversárias. Não pode haver nenhuma peça obstruindo o caminho onde passarão Rei e Torre.

Henrique Costa Mecking, o Mequinho, é considerado o maior enxadrista do Brasil.

Aí, caiu a ficha – e o nosso amigo desistiu do aprendizado.

– É muito complicado. Só existem duas formas de vencer: caso o jogador dê um xeque-mate no adversário ou se o adversário desistir da partida. Não sou o Mequinho e, além disso, aqui na solitária, falta um parceiro… E parceiro virtual eu dispenso. A internet virou uma Torre de Babel.

PS: sobre o Mequinho (Henrique Costa Mecking – gaúcho de Santa Cruz do Sul, 23 de janeiro de 1952) – é o maior jogador de xadrez brasileiro de todos os tempos. Em 1977, chegou ao auge: foi considerado o terceiro melhor jogador do mundo, superado apenas por Anatoly Karpov e Viktor Korchnoi.

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Últimas Notícias