25 abr 2022 - 8h30

Alta dos combustíveis reduz oferta de motoristas de aplicativo

Empresas como Uber e 99 tentam amenizar o problema, enquanto táxis voltam a ganhar clientes

Motoristas de aplicativos têm enfrentado dificuldades crescentes nos últimos meses. Dentre os principais problemas está o aumento dos combustíveis que tem inviabilizado a continuidade da oferta de serviço de transporte para alguns. O problema tem provocado uma fuga de motoristas, reduzindo a oferta para os usuários.

Em grupos de redes sociais de motoristas de aplicativo tem se tornado comum a reivindicação por melhoria nos valores das corridas. Muitos alegam que as plataformas não repassam os valores acordados para os parceiros. 

De acordo com Anderson Vieira Gonçalves, motorista de aplicativo há 3 anos, a realidade da categoria é preocupante. “Primeiro que não temos lucro, nós temos menos prejuízo, mas temos que trabalhar de nove a dez horas por dia. A realidade está ficando difícil. Mesmo com os reajustes que os aplicativos fazem que são muito poucos, a gente não consegue recuperar a perda em função dos constantes aumentos de combustível”, explica.

Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), durante o segundo trimestre de 2021, havia mais de 1,1 milhão de motoristas trabalhando em plataformas no Brasil.

De acordo com Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis, nos últimos dois anos houve uma queda de 90 % nas locações para motoristas de aplicativo. Em junho de 2021 a plataforma de origem espanhola Cabify já havia anunciado o fim das suas operações no Brasil onde atuava há 5 anos.

Ajuda aos motoristas

A Uber publicou em seus canais oficiais que têm prestado todo auxílio aos motoristas parceiros com esforços para reduzir seus custos. Dentre as ações estão a realização de parcerias que propiciam descontos em combustíveis e o constante reajuste das tarifas para intensificar os ganhos. A 99 passou a oferecer aos motoristas um adicional de combustível para amenizar o problema e reduzir a crise de oferta do serviço.

A volta dos táxis

Com menos carros de aplicativos nas ruas, os passageiros estão voltado a utilizar os táxis. Os preços costumam ser semelhantes e os taxistas estão mais disponíveis.

O motorista Marcelo Teixeira Alves, que trabalha como taxista há 20 anos, tem notado um aumento de passageiros para a categoria e fala o que tem percebido nos últimos meses. “Agora já está se igualando. Combustível está muito caro e muitos motoristas de aplicativo desistiram. Agora tem poucos e eles andam bastante na dinâmica. Eu tenho escutado muita reclamação em função de espera e cancelamento de corrida. Com essas atitudes vai acabar ficando inviável trabalhar com aplicativo”, acredita ele.

Protestos

Preço baixo, comodidade e rapidez no atendimento fizeram com que o tradicional serviço de táxi perdesse espaço para os serviços de transporte por aplicativo, inicialmente. A entrada de empresas como Uber gerou conflitos de interesse de taxistas. Em Curitiba foram registradas mobilizações de taxistas, que reclamavam da concorrência desleal com os aplicativos. 

Orientação: Guilherme Carvalho (professor e jornalista)

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Um comentário sobre “Alta dos combustíveis reduz oferta de motoristas de aplicativo

  1. A 99 até que foi criativa ao criar o adicional de combustível, porém precisamos mesmo de reajuste na tarifa repassada ao motorista. Não foi só a gasolina que subiu, valores de automóveis estão muito mais altos que há 2 anos, custo de vida subiu muito. Motorista de app não pode mais comprar uma marmita para almoçar ou falta dinheiro para as contas. A Uber como sempre fingiu um reajuste temporário fraco por alguns dias e depois retomou os valores praticados antes do reajuste dos combustíveis. Minhas taxas de aceitação e cancelamento nunca foram tão ruins. Ou escolho a dedo quais corridas valem a pena ou pago para trabalhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias