CCJ aprova título de cidadão honorário para dono da Havan | Jornal Plural
Clube Kotter
11 fev 2020 - 16h20

CCJ aprova título de cidadão honorário para dono da Havan

Pedido de honraria a Luciano Hang teve só dois votos contrários

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do Estado do Paraná (Alep) aprovou, nesta terça-feira (11), a concessão de cidadania honorária a Luciano Hang, o polêmico dono da Havan, com sete votos favoráveis, dois contrários e três abstenções. O projeto agora vai a plenário.

Votaram a favor do projeto de Cobra Reporter (PSC) os deputados Hussein Bakri (PSD), Cristina Silvestri (CDN), Maria Victoria (PP), Tiago Amaral (PSC), Paulo Litro (PSDB), Homero Marchese (PROS) e Delegado Jacovós (PL). Nelson Justus (DEM), Marcio Pacheco (PDT) e Evandro Araújo (PSC) se abstiveram do voto.

Tadeu Veneri (PT) e Tião Medeiros (PTB) posicionaram-se contra a concessão da cidadania honorária. Segundo Veneri, Hang não preenche os requisitos determinados em lei: “Não há obra escrita pelo Sr. Luciano Hang sobre o Paraná, não há nenhum tipo de filantropia dele para o estado. Não há também nenhum tipo de respeito às instituições. Uma pessoa que diz que as universidades públicas são espaço de vagabundos, que servidores e professores são vagabundos, não respeita as instituições. Ou que diz que a democracia atrapalha.”

Maria Victória (PP) defendeu a proposta alegando que Luciano Hang trouxe 20 mil empregos para o estado. Para Homero Marchese (PROS), a ficha suja do dono da Havan não é um problema. “Teve polêmica, teve processo. É um grande empresário nacional, vai ter sempre.”

Tião Medeiros (PTB) afirma que ser grande empresário não é requisito o suficiente para a concessão de honrarias pelo estado do Paraná. “A lei traz critérios objetivos, inclusive do ponto de vista cultural. Tenho admiração pelo Sr. Luciano Hang como empresário, mas não é isso que está dito na lei”, conclui o deputado.

Colaborou Rafaela Moura

Últimas Notícias