Muitas mulheres notáveis | Jornal Plural
29 set 2020 - 9h57

Muitas mulheres notáveis

Em O Peso da Água (2000), Sarah Polley, Elisabeth Hurley e Catherine McCormack são as protagonistas

Kathryn Bigelow é mais conhecida por Guerra ao Terror e A Hora Mais Escura. São filmes “de homem”, embora um deles tenha Jessica Chastain como protagonista. E também por ter sido casada com James Cameron. Os dois concorreram ao Oscar de melhor direção em 2009, mas ela foi a primeira diretora a receber um, por Guerra ao Terror.

No longa O Peso da Água (2000), pouco conhecido, atrizes notáveis como Sarah Polley, Elisabeth Hurley e Catherine McCormack – do filme Coração Valente, de Mel Gibson – são as protagonistas ao lado das feras Sean Penn e Ciarán Hinds (eu amo esse ator). É baseado no livro de Anita Schereve, recentemente falecida aos 71 anos, com roteiro escrito também por uma mulher.

Por que eu escolhi falar a respeito desse filme, que eu revi agora, em DVD comprado? Porque é lírico e ao mesmo tempo pesado. Fala de poetas e escritores, mas também tem água, um elemento que me atrai muito, desde sempre.

O longa se passa em duas épocas, correndo simultaneamente, com cortes geniais de um tempo para outro. Na primeira, nos anos 2000, uma fotógrafa, Catherine McCormack, vai investigar assassinatos ocorridos em uma ilha do Maine (EUA). A viagem é feita num barco a vela do cunhado, um bonitão, acompanhado da namorada, sexy no último grau.

A fotógrafa está acompanhada do marido, Sean Penn, um poeta que ganhou o Pulitzer mas está sofrendo bloqueio. Ele bebe muito, e é famoso. Tanto que a jovem sexy, Hurley, o conhecia e é fã dele. Ciúmes, equívocos, uma quase morte e um morto permeiam essa história.

Paralelamente, Sarah Polley é uma jovem norueguesa, casada com um homem que ela não ama. O casal vai para a ilha, pequena, onde ele é pescador. Em 1873, um homem, Ciarán Hinds, vai morar com eles, sob o pretexto de ter reumatismo, num quarto separado. Em seguida, ela recebe uma irmã mais velha (e má), um irmão que ela ama, e uma cunhada que é sexy e não faz nada na casa. Polley faz todo o trabalho e a irmã trabalha num hotel em outra ilha, onde fica o povoado. Ciúmes, amor, estupro, repressão religiosa e sexual e dois assassinatos fazem a história.

Essa segunda trama é bem mais interessante do que a primeira. Mas o modo como o filme é narrado é incrível. É um filme adulto, com atuações incríveis, principalmente de Sarah Polley e Ciarán Hinds.

E de Penn. A certa altura, bêbado, ele pergunta: Talento perdoa tudo, você não sabia disso? O irmão responde: Não o talento. Genialidade talvez. Você é talentoso, mas o mundo é cheio de talentos mau-caráter.

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Últimas Notícias