Os bons tempos do CAF | Jornal Plural
26 fev 2020 - 21h00

Os bons tempos do CAF

Francisco Camargo lembra do Ferroviário, time que está no DNA do Paraná Clube

Sobre o Paraná Clube e a desesperada busca de uma parceria com a empresa russa TSI, para resolver uma série de problemas por conta da crise financeira que vem atormentando o time, há quem tenha voltado ao passado: o Clube Atlético Ferroviário. Pela sua origem, o clube tinha tudo para crescer, crescer e se tornar uma potência no futebol brasileiro. Isso mesmo. Afinal, além de uma massa de torcedores, por conta dos funcionários da Rede Viação Paraná/Santa Catarina, a empresa também ajudou de várias maneiras, inclusive cedendo, em Curitiba, um campo “situado no km 408, defronte ao Mercado Municipal, para os treinamentos do clube”, como destacou no final da década de 1960 a série Café Alvorada no Esporte.

Com texto do jornalista (e radialista) Maurício Fruet, a publicação, em forma de história em quadrinhos, desenhos de um tal de Pancho, traz a história completa do time (na sequência também foram brindados o então Atlético e o Coritiba). Na apresentação, ao saudar a torcida colorada, Maurício destaca o fato de que, no momento, a agremiação “atravessa fase de intenso progresso e prosperidade”.

Aí, temos a íntegra da ata de fundação (12 de janeiro de 1930), bem como a lista de presidentes, de Francisco Alves Guimarães até Ney Simas Pimpão (que acabaria reeleito) e Hipólito José Arzua (conselho diretor).

O clube nasceu para congregar a família da então Rede Viação Paraná/Santa Catarina, que, anos mais tarde, se tornaria Rede Ferroviária Federal. A primeira diretoria foi eleita em reunião na residência de Ludovico Brandalize.

O Trio de Ferro

Em 1937, o CAF conquistaria o primeiro título de campeão paranaense. E, no campeonato, aplicou uma tremenda goleada no Savóia, 6 a 0. Assim, já saudado como campeão da disciplina, o Ferroviário alinhava-se ao Coritiba e o Atlético, formando o chamado Trio de Ferro do futebol paranaense.

E a publicação traz a letra do hino do Ferroviário:

– Ferroviário eu quero, quero, quero

Você brilhar

Respeitando o adversário

Tua equipe há de triunfar (BIS)

O Colorado, da Vila Capanema

Quando entra no gramado

Sempre leva esse lema

De lutar pra defender

A sua sina

Ferroviário “Campeão da Disciplina”.

PS: que venham logo os novos tempos para o Paraná Clube, retornando aos trilhos do velho e heróico Ferroviário depois de tantas fusões que lhe deram o título de recordista mundial nesse campo.

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Últimas Notícias