Apoio profissional sempre | Jornal Plural
20 set 2020 - 9h35

Apoio profissional sempre

Não acredite em tratamento milagroso, em cogumelo do sol ou em suco de casca de banana verde

Meu primeiro encontro com a depressão aconteceu aos 18 anos. Tive a sorte de ser tratada por um dos melhores profissionais da área da saúde mental de Curitiba. 

O tratamento foi curto e muito eficaz. Passei um bom tempo sem ter notícias da tal depressão, a quem eu chamo carinhosamente de “a inconveniente”. 

Aos 23 anos, durante o luto pela perda da minha mãe, a inconveniente reapareceu. 

Se viver o luto não é fácil, a inconveniente conseguiu piorar muito a situacão. 

Fiz análise durante alguns anos com duas psicólogas incríveis. Ainda hoje revivo muito do que debatemos em nossas sessões e sei quanto elas foram fundamentais para que eu pudesse começar a vislumbrar os meus porquês.

Mas as dores, mesmo as bem tratadas, têm a péssima mania de ressurgir. Aos 29 anos a inconveniente voltou a dar o ar da (des)graça. Aos 32 anos, ela foi “promovida” de moderada para severa. A intensidade da tristeza, solidão, medo, culpa e desejo de morte foi além do que se pode colocar em palavras. Foram longos anos em busca de uma combinação de tratamentos que dessem conta de tudo que eu sentia. Médicos, diferentes tipos de terapias e um internamento voluntário. Muitas vezes nada parecia funcionar. Foram ao menos quatro anos de altos e muitos baixos. Até tudo começar a voltar ao seu lugar e eu deixar de sentir aquela presença inconveniente ao meu lado.

E se não fosse pelo cuidado e zelo dos profissionais da área da saúde, certamente eu não estaria aqui. Essas pessoas fazem um trabalho incrível nos ajudando a lidar com nossas vidas como elas são e, fundamentalmente, nos ajudando a domesticar as bestas enjauladas que nos habitam.

Por isso eu suplico: não acredite em tratamento milagroso, em cogumelo do sol ou em suco de casca de banana verde. Depressão é uma doença que mata. E cada um vai sentir de uma forma diferente. Só um médico e um terapeuta vão poder entender as tuas particularidades e adaptar um tratamento para você.

Então, se você sente que precisa, busque ajuda médica hoje. Se você conhece alguém que não está bem, pegue pela mão e acompanhe-o até um profissional da área da saúde hoje. Isso pode salvar uma vida. Isso salvou a minha. Três vezes!

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Últimas Notícias