18 out 2021 - 20h59

Primeira jornalista brasileira, Eugênia Moreyra chocou o Rio com sua ousadia

Podcast apresenta biografia de intelectual que sacudiu o país no século passado

Eugênia Moreyra é uma personagem que poucos brasileiros conhecem hoje, mas nem sempre foi assim. Quando ela morreu, em 1948, sua perda foi lamentada por gente como Drummond, Jorge Amado e José Lins do Rego. Considerada a primeira mulher jornalista do Brasil, ela fez história também como defensora do voto feminino e como uma intelectual respeitada no Rio de Janeiro.

A história de Eugênia, que é a personagem da semana do podcast “Quero te apresentar uma pessoa”, começa em 1914, quando a garota de 16 anos é contratada como repórter do jornal “A Rua” (na verdade, ninguém sabia qual era o feminino de repórter, e ela foi chamada de “reportisa”). No mesmo ano, ela chocou os cariocas ao abandonar a profissão anunciando que ia se internar num convento, mas na verdade era apenas um truque para tentar desvendar um crime passional famoso da época.

Apresentado por Sandi Bart e com pesquisa de Rogerio Galindo, o podcast “Quero te apresentar uma pessoa” é patrocinado pelo Colégio Internacional Esic, e mostra biografias de brasileiros que tiveram um papel relevante na sociedade mas que hoje não são muito conhecidos.

Siga nas plataformas:

Spotify

Deezer

Apple

Google Podcasts

Spreaker

Podcast Addict

Podchaser

JioSaavn

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Radiocaos Convescote

Neste episódio os textos e ideias prazerosas de Otto Leopoldo Winck, William Cruzoé Teca, Guilherme Zarvos, Sergio Viralobos, Edilson Del Grossi, Gabriele Gomes, Bernardo Pellegrini, Amarildo Anzolin, Francisco Cardoso de Araujo, Marielle Loyola, Flavio Jacobsen, Maurício Popija, Adriano Samniotto, Leonard Cohen, Wally Salomão, Natalia Barros, Trin London, Daniel Quaranta, Marcelo Brum-Lemos, Michel Melamed, Julio Cortazar, Mauricio Pereira, entre outros não menos alvissareiros.

Redação Plural.jor.br