Um a cada quatro curitibanos recebe Auxílio Emergencial | Jornal Plural
22 set 2020 - 11h03

Um a cada quatro curitibanos recebe Auxílio Emergencial

Número supera em 247 mil inscritos a estimativa inicial do programa, que era de 11% da população da Capital

O pagamento do Auxílio Emergencial superou em 95 mil inscrições a previsão inicial de Curitiba para a primeira fase. Segundo dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), com base na Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios (PNAD), a estimativa era de que 204 mil pessoas atendessem aos pré-requisitos do programa. Mas, já no pagamento da primeira parcela do benefício, o público total do Auxílio na Cidade chegou a 299 mil.

E o número continuou aumentando. Na última estimativa divulgada pelo Portal de Transparência do governo federal, Curitiba somava 451.125 beneficiados (247,1 mil a mais do que o previsto inicialmente) e R$ 787 milhões pagos – o que representa 25,75% da população estimada da Capital. A estimativa inicial representava apenas 11% da população.

Quem pode solicitar o Auxílio Emergencial. Arte: Dieese

Entre os que receberam o benefício, há três públicos distintos segundo a Fundação de Ação Social (FAS), que administra o Cadastro Único na Prefeitura de Curitiba. Primeiro, há 39.399 pessoas inscritas no Bolsa Família e que optaram pelo Auxílio, cujo valor é mais vantajoso. Outros 65.805 pessoas estão no Cadastro Único, mas não no Bolsa Família (considerando os dados da primeira parcela do auxílio).

Esses dois grupos juntos somam 105.204. “Para o Auxílio Emergencial, de acordo com a legislação, todo mundo que tinha Cadastro Único até 3 de abril foi considerado com a composição familiar e a renda. O Dataprev não pegou os dados e informações sobre trabalho e remuneração do Cadastro Único, pegou de outras bases administrativas. Quem está no Cadastro Único e atualizou depois do de 3 abril não foi considerado”, explica Denise Ferreira Neto, da FAS.

Ainda segundo a Fundação, outras 194.005 fizeram a solicitação do Auxílio direto pelo aplicativo (na primeira fase). No entanto, com a continuação do programa, a pessoa que não conseguiu o benefício ainda tem outras opções. Há um aplicativo para solicitar revisão do pedido, caso ele tenha sido negado.

“Quem não tem acesso a celular, o Ministério agora fez um acordo com os Correios e as pessoas podem ir lá fazer essa solicitação. As pessoas que estavam com seguro-desemprego, depois que acabar, podem solicitar também até 3 de julho.”

Dos inscritos em Curitiba, 98,75% receberam sem dificuldades. Só 3,5 mil pessoas tiveram o benefício retido por divergências no cadastro e 72 devolveram o valor à União. Esses dados incluem benefícios questionados pela Controladoria Geral da União por terem sido pagos a pessoas que não tinham os pré-requisitos determinados no programa. São dados relativos à primeira parcela do benefício paga em abril de 2020.

Paraná

No Paraná, o número de beneficiados pelo programa do governo federal também superou a projeção inicial. Segundo o Dieese, 1,7 milhão de paranaenses se qualificavam para o programa no início. Dados de julho, no entanto, mostram que o Estado tem, no total, 3,1 milhões de inscritos e já recebeu R$ 5,6 bilhões.

Esse total representa 29,83% da população paranaense, ou seja, quase um terço. Para o Dieese, a estimativa inicial era de que o Auxílio Emergencial chegasse a 15,3% dos moradores do Paraná.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias