Funcionário da prefeitura rasga cartaz "Fora, Bozo" de professora em fila de vacinação - Jornal Plural
16 jun 2021 - 18h49

Funcionário da prefeitura rasga cartaz “Fora, Bozo” de professora em fila de vacinação

Caso aconteceu na Unidade de Saúde Vila Feliz, no Bairro Novo, em Curitiba

Nesta quarta-feira (16), a professora Eliane Basilio de Oliveira foi surpreendida na fila de vacinação contra a Covid-19 por um funcionário da prefeitura de Curitiba que a impediu de se expressar contra o governo federal. Ele rasgou o cartaz que ela empunhava com os dizeres ”Viva o SUS. Fora Bozo”. O episódio aconteceu por volta do meio-dia na Unidade de Saúde Vila Feliz, localizada no bairro Novo Mundo.

De acordo com Eliane, ela e seu marido, o jornalista e também professor Marcelo Fernando de Lima, estavam na fila esperando para receber o imunizante quando foram abordados pelo rapaz que estava na etapa de distribuição de senhas e preenchimento de fichas de cadastro: “Ele lá de dentro falou: ‘Não pode!’, respondi ‘Como não pode?’ e ele disse que lá não podia haver pronunciamentos políticos, que não era um lugar político. Então dobrei o cartaz de forma que não ficasse com nenhum nome aparecendo e entrei na sala pra evitar maiores confusões”. 

Porém, segundo a professora, o problema não parou por aí. “Depois da entrega do material preenchido e com a senha, você aguarda ser chamado para realmente ser vacinado. Quando cheguei nesse portão, antes de falar com a outra atendente que estava ali, ele me atacou, catou o cartaz na minha mão, amassou e disse ‘isso aqui não pode’. Ele tomou, simplesmente tomou. Ele foi me seguindo enquanto eu estava subindo, até eu ficar encurralada no lugar onde ele pudesse me atacar. Eu fui atacada. Ele me atacou pulando na minha mão, catando o meu cartaz, amassando, jogando fora e sumindo de cena, porque ele fez isso e desapareceu. O meu marido estava com um cartaz ‘Fora, Bolsonaro’ nas costas e ele não fez nada. A agressão foi comigo, reproduzindo novamente aquilo que a gente costuma ver das violências de gênero”, relata.

Rosimeri Aparecida Meira, que estava no local, também relatou surpresa com a situação: ”Não é uma coisa que você está esperando, porque a gente imagina que ainda estamos num país democrático onde a livre opinião seja para todos. A minha maior indignação foi saber que nós estamos perdendo o direito de nos expressarmos. Horrível, uma sensação de impotência, de impunidade.” Com tudo isso, ela decidiu fazer uma reclamação para a prefeitura através da Central de Atendimento 156.

Eliane conta que, após o ocorrido, encontrou solidariedade entre os demais presentes e que logo entrou em contato com a chefe da unidade que a informou de que iria conversar com o sujeito acerca dos acontecimentos. A professora, que também fez reclamação no 156, agora pretende abrir um boletim de ocorrência relatando os acontecimentos. 

“A ação que ele fez foi de violência, de censura, não existe nenhum cartaz em nenhum lugar que dizia que eu estava proibida de me manifestar. Eu estava manifestando de forma silenciosa, não estava gritando, não estava fazendo qualquer tipo de ação, eu estava manifestando de maneira individual dentro de um espaço público, num país onde 500 mil pessoas estão mortas, porque não tiveram acesso à vacina.”

Entramos em contato com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) mas até o fechamento desta matéria não obtivemos resposta.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

14 comentários sobre “Funcionário da prefeitura rasga cartaz “Fora, Bozo” de professora em fila de vacinação

  1. Canalha, safado, fez essa agressão porque era uma mulher se manifestando. Típico dos calhordas, sexistas, bolsolixos.
    CADEIA É POUCO; TODA SOLIDARIEDADE A MAIS ESSA VÍTIMA.

  2. Completo absurdo e covarde. É inadmissível que esta pessoa seja, pelo que entendi, um funcionário público, e assuma esse tipo de ação de violência contra uma cidadã. A Prefeitura não pode ficar calada nessa situação.

  3. Foi um funcionário da prefeitura de Curitiba, foi uma violência, não dá pra apenas “conversar com o rapaz”. A prefeitura deve se pronunciar e apresentar ações efetivas.

  4. Quem conhece a professora Lili , sabe o ser humano incrivel e pacifico . Sempre aberta ao dialogo , seja até mesmo para declarar suas convições politicas ou de ideias. Lamentável , triste e revoltante ver ela ou qualquer pessoa não poder manifestar sua indignação.

    Minha vida academica e pessoal foi marcada por essa professora dedicada , generosa e que sempre cumpriu seu papel com respeito e dialogo.

    Sei que embora ela tenha passado por algo tão revoltante como essa situaçao, sua contrapartida para sociedade sempre será com amor , luta , resistência , respeito e em busca sempre da igualdade.

  5. A cara da “companheira” do PT querendo lacrar. Tenha respeito pelos profissionais da saúde que estão trabalhando na linha de frente.
    Teve seus 5 segundos de fama.

  6. Muita cachorrada e covardia. Esses Bolsonarista praticam violência de gênero contra nós mulheres e nesse caso simplesmente por causa de um cartaz. Que eu saiba ainda temos direito a essa manifestação individual. Abaixo a truculência. Força companheira.

  7. Um absurdo. Estamos ou não em uma Democracia? A ditadura já se instalou? E o prefeito Greca nada fará a respeito disso? Cada vez tenho mais vergonha desta cidade, pois pensava que eram humanos… E descubro que Curitiba tem muitos seres desumanos.
    Este é um motivo para TODOS se manifestarem contra o genocida. Não podemos ter medo de nos manifestarmos.
    Parabéns, Eliane.

  8. Sim, tem todo o jeito de ser uma pacífica senhora, vítima de ataques terríveis, acuada em um corredor…

    Deve ter sido um diálogo bem calmo.

    Quanto à vacinação, apesar dos pesares, está indo muito bem, se compararmos, por qualquer índice, com outros países.

    1. Mimimi! Sai fora o marmita de político. Deve ser muito triste na cabeça de vocês tentar ficar se convencendo toda a hora que esse não é o pior governo – em todos os sentidos possíveis; incompetente, corrupto, mesquinho, autoritário, negacionista, ideológico, bandido e muito mais! que esse país já teve!! Simplesmente patético ter que passar o dia procurando fake news pra defender o seu político mimado de estimação. A hora de vocês esta chegando, seja na política ou na sociedade, gente atrasada e egoísta como vocês vão ser o exemplo do lixo da história.

  9. É um absurdo e um horror atacar alguém que não faz mais do que se manifestar pela democracia. Esse cara merece ser processado e preso. Por agredir pessoas na via publica.

  10. Esse é um capacho do autoritarismo, pau mandado dos mesmos governantes que achatam o seu salário, sua perspectiva de vida, seu mundo. É preciso ter pena de um indivíduo desse nível. FORA, BOZO GENOCIDA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias