Piscicultura brasileira gera cerca de 1 milhão de empregos direta e indiretamente

Itambaracá, no Norte do Paraná, quer chegar alcançar a produção de 10 mil toneladas de peixe este ano

O peixe, uma das mais importantes fontes de proteínas e de nutrientes em toda parte do mundo, é rico em ômega-3 e ácidos graxos essenciais para uma vida saudável. Várias espécies são consumidas diariamente como principal alimento. Além do sabor diversificado em cada região, a piscicultura também é uma das principais fontes de renda e contribui com a economia nacional.

A criação de peixe impacta também outros mercados, já que emprega no Brasil direta e indiretamente, cerca de 1 milhão de pessoas, sendo também uma atividade que permite às pessoas empreenderem. Segundo dados da Associação Brasileira de Piscicultura (Peixe BR), o Brasil é o quarto maior produtor mundial de tilápias, representando 60% da produção em nosso país, que chegou a produzir 802.930 toneladas só em 2020.

Do cultivo ao nosso cardápio, existe todo um processo que exige cuidados diários e alimentação adequada. As estações do ano também têm influência, no inverno, por exemplo, quedas bruscas de temperatura podem influenciar negativamente a produtividade e a saúde dos peixes.

No Paraná, um dos municípios que desponta na produção de tilápias é Itambaracá, localizado no norte do estado e um das beneficiados com os tanques no rio Paranapanema. Na cidade, os dois portais de entrada recebem seus visitantes com a figura dos peixes, símbolo dessa riqueza da região.

Porções de sashimi de tilapia. Foto: André Luciano.

De acordo com o Secretário de Agricultura e Meio Ambiente de Itambaracá, André Luciano Totes, o cultivo de tilápia é apontado como fonte de renda promissora. “Alguns acadêmicos ao fazerem uma analogia entre a avicultura e a piscicultura, garantem que tilápias tornam-se a galinha poedeira com os ovos de ouro”, aponta Totes. O cultivo da espécie também tem como benefício a sustentabilidade, já que não ameaça outras espécies nativas.

Com menos burocracia, os pequenos produtores puderam enxergar um novo horizonte nessa atividade. Atualmente, o município conta com grandes investidores diretos e indiretos, alavancando a sustentabilidade e contribuindo com os aumentos de produção constantes em todo o território brasileiro.

A produção na cidade é de aproximadamente seis mil toneladas por ano, com expectativa e projetos de ajustes técnicos para fechar no ano de 2022 próximo às 10 mil toneladas.

Esse cultivo coloca o alimento no prato de muitos paranaenses, que trabalham e contribuem com esses resultados, tornando a piscicultura em nosso estado uma das mais bem avaliadas no país.

Orientação: Karine Moura Vieira (professora e jornalista)

Sobre o/a autor/a

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Plural se reserva o direito de não publicar comentários de baixo calão, que agridam a honra das pessoas ou que não respeitem níveis mínimos de civilidade. Os comentários são moderados por pessoas e não são publicados imediatamente.

Rolar para cima