Como retirar carrapato de cachorro | Jornal Plural
Clube Kotter
11 set 2020 - 10h49

Como retirar carrapato de cachorro

É importante remover os parasitas do animal o quanto antes

Um dos grandes pesadelos de quem tem cachorro é a doença do carrapato. Este é um parasita tão comum quanto perigoso, que pode levar a várias complicações da vida do animal, incluindo a morte, além de um desconforto enorme, tanto para ele como para si. Por isso, é importante estar alerta e saber o máximo possível sobre o carrapato.

Afinal de contas, quanto mais cedo detetar a doença do carrapato no seu cachorro, maiores são as chances de uma cura rápida e sem sequelas para o animal. Portanto, é fundamental conhecer os sintomas da doença e estar atento a possíveis mudanças de comportamento do seu cachorro, que podem indicar que está infetado. Quanto melhor souber como lidar com carrapato em cachorro, melhor será, tanto para si como para o animal.

A doença do carrapato é transmitida por este pequeno parasita, que encontra no cachorro o hospedeiro perfeito para sobreviver. Utiliza o seu pelo para viver e alimenta-se do seu sangue fresco. Além de serem bastante desconfortáveis, esse carrapato marrom pode transmitir doenças graves ao animal, caso transporte consigo determinada bactéria ou protozoário, responsável por tais enfermidades.

Isso significa que o seu cachorro pode ter apanhado carrapatos, mas não ter contraído uma doença grave. Contudo, deve remover esses parasitas o mais rápido possível. Isso porque as suas picadas podem criar alergias e infeções. Além disso, provocam coceira no animal, causando o seu desconforto, que podem causar inclusive dor. Pode ainda sentir-se desconfortável o suficiente para não conseguir comer, levando a perda de peso, anorexia, perda de apetite, apatia e outros sintomas consequentes. Num último estádio, as picadas dos carrapatos podem criar um cenário de anemia, resultante na morte do animal.

Assim, convém ter sempre à mão produtos eficazes na remoção dos carrapatos dos cachorros. Os mais comuns são os xampus e sabonetes anti-parasitários, que pode encontrar no seu veterinário. Aliás, deve aconselhar-se junto dele, já que é o profissional indicado para prestar todos os esclarecimentos. Além disso, deve certificar-se que o produto que adquire, não só é eficiente, como também não provoca efeitos secundários. Estes xampus não são preventivos, mas sim para a eliminação de carrapatos.

Por sua vez, as pipetas são um remédio mais rápido e eficiente. Quando o seu cachorro está infetado, as pipetas são a solução mais rápida que encontra no mercado. Consistem em pequenas bisnagas com um inseticida que, em contato com a pele do animal, se espalha ao longo do seu corpo e mata todos os parasitas que encontra. Além disso, impede também que os votos postos pelos parasitas ecludam, acabando com a praga em menos de 48 horas. O se efeito é ainda duradouro e pode aguentar até cerca de um mês.

Uma alternativa às pipetas são as coleiras anti-parasitárias. Funcionam da mesma forma, já que vão libertando inseticida no corpo do animal, de uma forma progressiva. No entanto, ao contrário das pipetas, existem no mercado coleiras deste tipo que protegem o animal contra outro tipo de parasitas, nomeadamente mosquitos, responsáveis pela leishmaniose, outra das doenças mais terríveis que podem afetar os animais de estimação. Além disso, as coleiras são bem mais práticas do que as pipetas, podendo ser aplicadas e removidas facilmente.

Finalmente, os comprimidos são a solução mais potente, indicados para os casos mais graves. Nem todos os cachorros gostam de tomar comprimidos, o que se pode tornar mais difícil, mas a sua ação tem um efeito mais duradouro. Este pode ir até aos três meses. Existe ainda os comprimidos de emergência, para infestações agudas, que duram 24 horas e tem um efeito super poderoso.

Além disso, deve sempre levar o seu cachorro ao veterinário. A ajuda especializada é sempre aconselhada em qualquer tipo de urgência e esta não é excepção. O médio veterinário saberá melhor do que ninguém como agir, efetuando o diagnóstico correto da situação e recomendando a solução mais adequada para o seu animal. No fundo, deve adotar uma atitude responsável, sensata e inteligente, mantendo-se atento ao comportamento do seu cachorro. Lembre-se que ao agir o mais rapidamente possível estará a contribuir para uma solução mais rápida e eficiente, sem sequelas ou outros sintomas crónicos, que podem permanecer para toda a vida do animal.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias