Reserva Natural em Antonina abre para visitas e tem trilha de nível fácil
10 set 2021 - 11h20

Reserva Natural em Antonina passa a receber visitas e tem trilha de nível fácil

A reserva natural em Antonina é resultado de um trabalho de décadas em prol da conservação e da restauração da natureza

A Reserva Natural Guaricica, Unidade de Conservação criada em Antonina, no litoral do Paraná, no fim da década de 1990 abriu suas portas e passa a receber visitas agendadas e guiadas. Com a novidade, a população vai poder conhecer os resultados de um trabalho de décadas em prol da conservação e da restauração da natureza e da biodiversidade. A iniciativa é da SPVS (Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental).

Neste primeiro momento de abertura, o visitante terá a oportunidade de fazer uma trilha de nível fácil com duração de cerca de uma hora. Nela, vai ser apresentado a um cenário que conta – por meio de exemplos práticos e da narração de colaboradores da SPVS que fizeram parte das diversas fases de criação e consolidação das Reservas – a história das áreas. Em breve, também serão feitas observação de animais, inclusive noturnos, e acampamentos.

No local, hoje existem animais ameaçados de extinção que, por anos, não foram mais vistos na região por conta de atividades predatórias. Entre eles, a onça-parda, jaguatirica, cotia, irara e outras espécies nativas. A experiência da visita completa à Reserva Natural, no total, dura cerca de três horas.

Reginaldo Ferreira é coordenador das atividades nas três Reservas da SPVS e destaca que a história de restauração das áreas é também uma história de restauração de vidas. “Nada menos que 1.500 hectares de áreas naturais estão em processo de restauração. Foram plantadas quase um milhão de árvores nativas e este trabalho foi feito pelas mãos de moradores locais, que, antigamente, trabalhavam nas fazendas que foram adquiridas. O conhecimento tradicional trazido por essas pessoas, aliado ao científico, foi fundamental para hoje aproveitarmos conquistas dignas de serem celebradas”, diz ele.

Clóvis Borges, diretor-executivo da SPVS, diz que as três Reservas Naturais são áreas muito importantes localizadas no coração da Grande Reserva Mata Atlântica, que, com mais de dois milhões de hectares de floresta tropical contínua, fica localizada entre o litoral Sul de São Paulo e o litoral norte de Santa Catarina, representando o maior remanescente contínuo do bioma Mata Atlântica do mundo.

“As Reservas fazem parte de um mosaico maior, composto por outras Unidades de Conservação como Parques Nacionais, Estações Ecológicas e outras importantes áreas de proteção ambiental. A abertura das Reservas Naturais da SPVS para o público, iniciando com a Reserva Natural Guaricica, representa mais um importante passo na consolidação dessas áreas inseridas na região da Grande Reserva Mata Atlântica”, diz.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias