15 jan 2022 - 19h44

Chuva forte e granizo alaga bairros de Curitiba e fecha pronto-socorro

Choveram 54 milímetros a partir das 16h30

A forte chuva com queda de granizo que atingiu a capital neste sábado (15/1), a partir das 16h30, formou pontos de alagamento em vários bairros. Entre os locais com alagamentos, os registros aconteceram, no bairro Alto da XV, em trechos da Rua Fernando Amaro, e, no bairro Boqueirão, entre as ruas Humberto Ciccarino e Tito Teixeira, conforme boletim da Defesa Civil de Curitiba.

Entre os locais com alagamentos, os registros aconteceram, no bairro Alto da XV, em trechos da Rua Fernando Amaro, e, no bairro Boqueirão, entre as ruas Humberto Cicarino e Tito Teixeira.

Houve ainda informações de alagamentos em pontos específicos na região da PUCPR (Rebouças), na Linha Verde e próximos da Avenida Henry Ford (Guaíra e Lindoia).

Há relatos de ruas completamente alagadas e um vídeo que circula pelas redes sociais mostra o Hospital do Trabalhador com o piso coberto por água da chuva. A Secretaria Estadual da Saúde diz que foi obrigada a fechar o pronto-socorro hospital devido ao alagamento.

“Os equipamentos de tomografia e raio-x foram molhados, comprometendo a utilização neste momento”, diz nota da Secretaria. “Os pacientes atendidos pelas ambulâncias e espontaneamente deverão ser encaminhados para os hospitais Cajuru e Evangélico Mackenzie nas próximas 24 horas, até que a situação normalize.”

Curitiba teve rajadas de vento de 39,6 km/h registradas pelo Simepar e precipitação acumulada de 54mm registradas na estação pluviométrica do Cemadem (Cachoeira).

Ocorrem dois registros de fornecimento de lonas para residências nos bairros Capão Raso e Sítio Cercado. Até o presente momento, segundo a prefeitura, sem registro de feridos, desabrigados ou desalojados.

Ainda ocorreram solicitações de atendimento relacionado a queda de árvore ou de galhos em via pública e/ou bloqueando as vias, como na Rua Paul Garfunkel, próximo ao número 2.500, na CIC.

Central 156

O cidadão que precisa comunicar a Prefeitura sobre estragos provocados pela forte chuva deve utilizar o telefone 156 da Central de Atendimento ao Cidadão, pelo site (www.central156.org.br) ou pelo aplicativo do serviço. O atendimento é feito por ordem de chamada e também de acordo com a gravidade da situação relatada.

A Defesa Civil registra as ocorrências que chegam ao município pelo telefone de emergência 199 (alagamentos) e, também, pelo 156 (Central de Atendimento ao Cidadão, que registra as solicitações para retiradas de árvore) e pelo 153 (Centro de Operações da Guarda Municipal – fornecimento de lona).

Outras situações decorrentes de chuvas ou temporais podem ser atendidas pelo Corpo de Bombeiros (193 – resgate) e pela Copel (falta de luz).

O Plural é um jornal independente mantido pela contribuição de nossos assinantes. Ajude a manter nosso jornalismo de qualidade. Assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. E passa a fazer parte da comunidade mais bacana de Curitiba.

Um comentário sobre “Chuva forte e granizo alaga bairros de Curitiba e fecha pronto-socorro

  1. Mais não se preocupem, o povo vai continuar pagando R$30,00 na conta da luz por causa de crise hídrica para sempre, o pior que justificam estes aumentos por isso e quem fica desempregado não pode pagar menos suas contas devido estarem desempregados, por que será?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

É falso vídeo que tenta ligar filho de Lula a Petrobras e a aumento de combustíveis

Diferentemente do afirmado em vídeo, o preço do barril de petróleo não é manipulado por uma empresa internacional que investe na Petrobras. O preço varia, na verdade, com a oferta e demanda do produto no mundo. Além disso, nenhum filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é sócio de empresa investidora da companhia e o presidente Jair Bolsonaro (PL) não instaurou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os acionistas da petroleira. O conteúdo é falso

Projeto Comprova

É de graça


E vai continuar assim. Mas o nosso trabalho só existe porque ele é financiado por você, leitora e leitor, e por parceiros. Ajude o Plural a continuar independente. Apoie e assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

Já é nosso assinante?
Faça seu login com email ou nome de usuário

Não é assinante?  Assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

This will close in 20 seconds