Câmara abona 100% das ausências de vereadores de Curitiba | Jornal Plural
Clube Kotter
4 jul 2019 - 6h00

Câmara abona 100% das ausências de vereadores de Curitiba

Vereadores apresentaram 186 justificativas de ausências; descontos chegariam a R$ 93 mil

A Câmara de Curitiba abonou 100% das ausências em plenário que os vereadores pediram para justificar neste semestre. Foram 186 solicitações para que os colegas considerassem justos ps motivos para as faltas e ausências. Todas as que já foram julgadas estão aprovadas – apenas oito ficaram para ser apreciadas no semestre que vem, por terem sido apresentadas em cima da hora.

Cada falta custaria R$ 500 do salário de R$ 15 mil dos vereadores. Caso todas as ausências gerassem desconto, a Câmara deixaria de pagar R$ 93 mil aos vereadores só no primeiro semestre.

Pelo regimento da Câmara, se o vereador não comparece à sessão ou não responde às chamadas, perde 1/30 de seu salário. Para evitar isso, os ausentes precisam apresentar uma justificativa que demonstre que a atividade que estava sendo executada naquele momento tinha a ver com o exercício do mandato.

Os vereadores às vezes alegam que estavam concedendo entrevistas, atendendo pessoas no gabinete ou que tinham eventos na prefeitura. No entanto, a Câmara já chegou a abonar faltas de vereadores que alegaram perder a chamada por estarem presos no trânsito.

Foi o que aconteceu por exemplo com a vereadora Fabiane Rosa (PSDC). “Justifica-se por atraso em razão do trânsito anormal na região”, alegou Fabiane para explicar por que não estava presente na chamada do dia 30 de abril. “Destaca-se que a vereadora chegou segundos após a rechamada e o atraso não comprometeu aos trabalhos da sessão.” Os colegas se compadeceram e abonaram a ausência.

O vereador Pier Petruzziello (PTB) abonou uma falta alegando que estava num café da manhã para preparar a Marcha para Jesus. Alex Rato (PSD), que assumiu como suplente, disse que estava em atendimento a um morador da cidade e perdeu a chamada. Edson do Parolin (PSDB) não teve descontos ao justificar que estava na inauguração do Condor.

Maria Manfron (PP) recebeu o salário na íntegra alegando que precisou sair mais cedo para ir participar de um encontro com a deputada Maria Victoria (PP), sem dar mais detalhes. Osias Moraes (PRB) se livrou da falta ao explicar que estava no Café de Páscoa com as lideranças cristãs de Curitiba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias