10 maio 2022 - 18h27

Conselho de Ética aprova cassação de Renato Freitas. Caso vai a plenário

Por cinco votos a dois, vereadores decidiram que entrada de petista em igreja durante protesto configura quebra de decoro

O Conselho de Ética da Câmara de Curitiba aprovou nesta terça-feira (10) o pedido de cassação do mandato do vereador Renato Freitas (PT). O caso agora será levado a plenário, onde o petista deverá ter dificuldades para conseguir evitar a cassação. No Conselho, a votação pela cassação acabou com cinco votos pela perda do mandato, um pela suspensão por seis meses e um pelo arquivamento.

Renato Freitas foi levado ao Conselho de Ética por ter entrado na Igreja do Rosário no dia 5 de fevereiro durante uma manifestação contra o racismo. Naquele momento, os manifestantes pediam justiça pelos assassinatos de dois homens negros, um congolês e um brasileiro, ocorridas nos dias anteriores. Diversos movimentos fizeram o mesmo naquele dia por todo o país.

Renato Freitas fez um discurso dentro da Igreja basicamente em defesa da vida. No entanto, a Igreja Católica e diversos setores conservadores da cidade se sentiram incomodados com a manifestação, que contou com uma bandeira partidária dentro da igreja. Por isso, cinco representações foram feitas contra o vereador na Câmara e transformadas num processo de quebra de decoro.

Votos

A primeira etapa do julgamento no conselho se deu com a apresentação de três teses. O relator, Sidnei Toaldo (Patriota), foi favorável à cassação de Renato Freitas. A segunda proposta, apresentada em voto em separado pela vereadora Maria Letícia (PV), pediu o arquivamento da denúncia. A terceira proposta, apresentada pelo presidente do Conselho de Ética, Dalton Borba (PDT), pediu suspensão do mandato do petista por seis meses.

Depois disso, os quatro outros membros do Conselho passaram a votar. Denian Couto disse que Renato Freitas não teve uma conduta compatível com a Constituição e com o respeito à Igreja e por isso votou a favor da cassação. Indiara Barbosa (Novo), disse que houve um erro do vereador e que ele é “reincidente”, e por isso votou igualmente pela cassação.

A seguir, o advogado responsável pela defesa de Renato Freitas, Guilherme Gonçalves, fez o seu discurso. Numa defesa arrebatadora, que apontou diversos erros fáticos do relatório de Sidnei Toaldo, Gonçalves disse que seria um despropósito a Câmara votar pela cassação de Renato Freitas. Com base nos vídeos apresentados do momento em que os manifestantes entram na Igreja do Rosário, o advogado mostrou que Toaldo errou ao dizer que o petista liderou o movimento.

Noêmia Rocha, fazendo uma ressalva de que seu voto não se devia à pressão sofrida, também escolheu acompanhar o relator no pedido de cassação. O vereador Toninho da Farmácia,último a votar, fez o mesmo.

Intimidação

O julgamento foi marcado por tensão e por uma tentativa de intimidação à vereadora Noêmia Rocha. O blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio, que já foi preso por atos antidemocráticos contra o Supremo Tribunal Federal, tentou pressionar a vereadora a votar pela cassação. O blogueiro já havia gravado pedidos de Silas Malafaia e Marco Feliciano para que a “irmã em Cristo” votasse contra o petista. O blogueiro foi retirado do plenário.

O Plural é um jornal independente mantido pela contribuição de nossos assinantes. Ajude a manter nosso jornalismo de qualidade. Assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. E passa a fazer parte da comunidade mais bacana de Curitiba.

19 comentários sobre “Conselho de Ética aprova cassação de Renato Freitas. Caso vai a plenário

  1. Não estão cassando Renato por invasão a um templo, por interrupção de missa, ou ultraje a símbolos religiosos, porque como já foi sobejamente comprovado, nada disso aconteceu. Estão cassando porque ele é negro, periférico e se recusa a falar de lado e olhar para o chão. Renato olha nos olhos de seus adversários e fala de cabeça erguida. Isso, para os racistas que querem vê- lo fora da Câmara, é uma afronta. Este processo não é movido por fatos mas por racismo.

  2. Renato Freitas já teve meu voto uma vez e vai ter sempre, para qualquer posição. Um homem de coragem como ele é necessário em nossa democracia. Um homem com coragem de dizer a verdade na cara de todos. Um homem íntegro na sua luta que agora, mais uma vez, se vê vitimado por esse sistema racista e elitista que vivemos neste país. Renato para sempre na luta!

  3. Que tristeza acontecer isso com o vereador Renato Freitas ,uma injustiça.Ele me representa e ao povo .Mas como essa sociedade de Curitiba não quer aceitar negro ,pobre ,batalhador ,que vence os preconceitos ,que conseguiu galgar um espaço na Câmara ,acharam um forma de colocar fora da luta.Mas a justiça prevalecerá .

  4. Acho a maior vergonha, uma igreja que foi construída para acolher gente preta, agora é palco de uma temática para tirar um preto do mandato legítimo (eleição popular), por que nenhum padre ou similar se manifestou? Não é uma vergonha para o clero? Alguém que supostamente diz ser refúgio, agora é algoz!
    Dom José Antônio Peruzzo, algo à declarar? ou vai se manter calado e conivente com o racismo?

  5. Lamentável a decisão do relator do Conselho de Ética, pela cassação do mandato do Vereador Renato Freitas, e daqueles que o seguiram.
    Mas o que se podia se esperar da maioria de representantes dessa Câmara que não tem respeito com o voto popular, nem com os princípios da democracia?
    Deturparam o ato que foi finalizado em uma igreja do povo preto, para dizer que foi uma invasão e terem o falso argumento para a cassação de um Vereador legitimamente eleito.
    #RenatoFica

  6. A forja de cassação do Vereador Renato Freitas corrobora o racismo dos vereadores. Não houve invasão da igreja. A igreja é um espaço público. A gravação das imagens comprovam que os manifestantes entraram depois da missa e a conduta do Vereador Renato Freitas e manifestantes foi respeitosa.

  7. Se os religiosos que estão patrocinando esta cassação não querem política nas igrejas, então não deveriam ter levado as igrejas para a política.
    Saiam da política!

  8. Os mesmos que batem palmas pela perseguição ao deputado que criticou o STF, dizem que falta democracia na cassação do vereador, fez burrada, assuma seus erros e as consequências…

  9. É um ato político ,que demonstra a ferocidade da direita contra movimentos sociais e seus defensores.
    Repúdio veementemente este pedido de cassação e espero que seja indeferido pela plenária.

  10. Acho a punição maior do que o agravo. A elite da igreja e da CM de Curitiba aproveita a ocasião pra cancelar um
    negro pobre do seu meio. Isso é um projeto de higienização. Tem o meu repúdio. O que o Renato fez foi levar sem violência uma demanda sobre a morte cruel de nosso semelhante. #renatofica

Deixe um comentário

Últimas Notícias

Bolsonaro não concluiu 84% das obras da transposição do Rio São Francisco, como alega vídeo

É enganosa a afirmação de que Jair Bolsonaro (PL) entregou 84% das obras da Transposição do rio São Francisco. Apesar do presidente ter retomado 222 km que haviam sido retirados do projeto original por administração anterior, a execução da obra atravessou outras três gestões federais que, juntas, entregaram mais de 90% da infraestrutura do empreendimento, considerando a extensão inicial – de 477 km

Projeto Comprova

É de graça


E vai continuar assim. Mas o nosso trabalho só existe porque ele é financiado por você, leitora e leitor, e por parceiros. Ajude o Plural a continuar independente. Apoie e assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

Já é nosso assinante?
Faça seu login com email ou nome de usuário

Não é assinante?  Assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

This will close in 20 seconds