A geografia da “Bancada da Bala” no Paraná | Jornal Plural
Clube Kotter
27 fev 2019 - 0h00

A geografia da “Bancada da Bala” no Paraná

Várias cidades grandes do Paraná contribuíram para a formação da bancada policial. Veja de onde saiu cada deputado

A eleição de parlamentares representantes das forças de segurança foi um fenômeno em âmbito nacional e nas assembleias legislativas. No Paraná, nove deputados integram a chamada “bancada da bala”, o nome se refere a uma frente parlamentar que defende o armamento civil e flexibilização de leis relacionadas a armas.

A bancada representa cerca de 15% do legislativo estadual e a maior parte de seus membros exerce mandato pela primeira vez. É o caso de Soldado Fruet (PROS), Subtenente Everton (PSL), Delegado Fernando (PSL), Soldado Adriano José (PV), Delegado Jacovos (PR) e Coronel Lee (PSL).

O delegado Rubens Recalcatti (PSD) foi reeleito. Fernando Francischini (PSL) foi deputado federal e hoje preside a CCJ na Assembleia.

Embora façam parte de um mesmo agrupamento político, cada um foi eleito por uma região diferente do estado. Conheça a geografia da bancada da bala paranaense.

Delegado Francischini (PSL)

Francischini fez o circuito completo da segurança: foi do Exército, da PM e depois, da Polícia Federal. No governo Beto Richa, foi secretário do Segurança – caiu depois do famigerado 29 de abril. Foi eleito com votos do estado inteiro, mas sua base é Curitiba, onde fez 139 mil votos. Pretende disputar a prefeitura da cidade no ano que vem.

Delegado Rubens Recalcatti (PSD)

Delegado da Polícia Civil por 23 anos, está no segundo mandato como deputado. Fez suas maiores votações em Curitiba e região metropolitana. É réu por um homicídio ocorrido na cidade de Rio Branco do Sul em 2015.

Coronel Lee

Policial Militar por mais de três décadas, o coronel se aposentou depois de comandar o batalhão de Cascavel, onde acabou fazendo mais de um terço dos seus 58 mil votos. Também foi bem votado em cidades próximas, como Medianeira e Toledo.

Delegado Fernando (PSL)

Delegado da Polícia Civil desde 2003, estava em Umuarama no momento da eleição. E conseguiu um resultado impressionante na cidade, com 25 mil votos, o equivalente a 43% dos votos válidos para deputado estadual dados no município.

Subtenente Everton (PSL)

Soldado do exército desde 1991. Começou a servir em Curitiba em 2003 e trabalha na 5ª Divisão do Exército. Foi o deputado eleito com menor número de votos, pouco mais de 13 mil. Desses, metade veio de Curitiba, onde ele já tentou ser vereador, sem sucesso.

Soldado Adriano José (PV)

Espécie de braço direito do popular Sargento Fahur (PSD), deputado federal mais votado do Paraná em 2018. Teve votos espalhados pelo estado, mas o melhor resultado foi em Maringá, com 6,9 mil eleitores.

Soldado Fruet (Pros)

Soldado da Polícia Militar, se elegeu basicamente com votos de Foz do Iguaçu, onde mora desde criança, e da região. Em Foz, fez pouco mais de um quinto do total de votos para deputado.

Delegado Jacovos (PR)

Jacovos atuou 31 anos como policial e 26 anos como delegado da Polícia Civil. Fez quase toda a sua votação nas regiões norte e noroeste do Paraná, com destaque para Apucarana, onde teve 26 mil votos – mais de 40% dos votos válidos.

Colaborou Rodrigo Silva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias