Conselho de Ética julga Renato Freitas na terça; aposta é de mera advertência

Deputados dizem que não há elementos para cassar petista, investigado por ter chamado Ademar Traiano de corrupto

O Conselho de Ética da Assembleia Legislativa do Paraná vai se reunir na tarde da próxima terça-feira (5) para a leitura do relatório final do caso Renato Freitas (PT). A sessão foi convocada neste sábado (2) pelo presidente do conselho, deputado Delegado Jacovós (PL). Depois da leitura do relatório do deputado Matheus Vermelho (PSD), os membros do conselho poderão votar para aprovar ou não a decisão do relator.

A aposta hoje nos bastidores da Assembleia, segundo o Plural apurou, é que Renato deverá sofrer apenas uma advertência, ou no máximo uma suspensão de curto prazo. Os deputados com quem a reportagem conversou dizem que não há elementos para a cassação do mandato, ainda que isso fosse agradar ao presidente da Assembleia, Ademar Traiano (PP).

“O regimento da Assembleia não permite cassar um deputado por uma coisa dessas”, diz um deputado que não quis se identificar. Dentro do Conselho de Ética, a sensação é a mesma. “Acredito que o Matheus Vermelho vai sugerir só uma advertência. A não ser que aconteça algo muito diferente, não deve passar disso”, diz outro deputado.

Renato Freitas foi denunciado ao Conselho de Ética por ter chamado Traiano de corrupto na sessão de 9 de setembro. Traiano, que já tinha levado o petista ao Conselho de Ética uma vez, denunciou o deputado outra vez, alegando quebra de decoro parlamentar.

Liminar

O deputado Renato Freitas, nas alegações finais de seu caso, incluiu trechos de umprocesso juidicial envolvendo o presidente da Assembleia, Ademar Traiano, e o ex-deputado Plauto Miró. No entanto, devido a uma liminar judicial que impõe multa diária de R$ 50 mil a jornais que falarem do tema, o Plural foi obrigado a retirar do ar as reportagens que diziam respeito ao tema.

Sobre o/a autor/a

Compartilhe:

Leia também

Melhor jornal de Curitiba

Assine e apoie

Assinantes recebem nossa newsletter exclusiva

Rolar para cima