UFPR: Professores recomendam suspensão do vestibular 2020 | Plural
10 set 2019 - 18h27

UFPR: Professores recomendam suspensão do vestibular 2020

Indicativo alerta para o risco de paralisação da UFPR e, com isso, a suspensão do vestibular.

Os professores da Universidade Federal do Paraná aprovaram nesta terça, dia 10 de setembro, uma recomendação para que a instituição suspenda a realização do vestibular para o ano letivo de 2020. A decisão foi tomada durante assembleia da Associação dos Professores (APUFPR), que também aprovou indicativos de greve por tempo indeterminado e uma paralisação de 48 horas, ambas sujeitas a definição do Sindicato Nacional.

Leia mais: Reitoria mantém vestibular, mas UFPR precisa de dinheiro

Por enquanto, porém, a recomendação não tem qualquer peso na realização das provas. O vestibular continua marcado e o calendário segue inalterado.

Segundo o secretário geral da Associação, Paulo Opuska, a indicação de suspensão do vestibular é um alerta dos professores a situação da universidade, que deve se agravar caso um novo corte de 30% nas verbas de custeio seja incluso na lei orçamentária para 2020. A proposta do governo federal é, além dos 30% de cortes já realizados em 2019, outros 30% sejam retirados da verba das instituições federais em 2020.

Para os professores da UFPR, a instituição já está com a manutenção das aulas no último trimestre do ano em risco por conta da falta de recursos. “Não tem como realizar o vestibular se a universidade estiver parada. É um alerta que estamos fazendo”, diz Opuska.

O professor também reforça que este novo corte aprofunda a crise em que a instituição, e outras em todo o país, está. “A universidade não consegue sobreviver sem esses recursos”, declara.

A Reitoria da UFPR não se manifestou oficialmente sobre a recomendação da associação dos professores.

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você entra na nossa lojinha, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Assuntos:

Últimas Notícias