4 nov 2021 - 16h34

Deltan Dallagnol deixa o Ministério Público e deve disputar as eleições no Paraná

Ele segue os passos de Moro e concretiza a Lava Jato como movimento político

Deltan Dallagnol, procurador da República que coordenou a operação Lava Jato, anunciou nesta quinta-feira (4) que pediu desligamento definitivo do Ministério Público Federal. Ele divulgou um vídeo anunciando a saída da instituição e deu pistas de que vai disputar as eleições em 2022. Em tom de discurso de campanha, disse acreditar que pode fazer mais pelo país fora do MP, que tem várias ideias para um Brasil melhor, e finalizou dizendo acreditar ser possível transformar o brasil por meio do exercício da cidadania e do voto consciente.

Deltan segue os passos de Moro e deixa a carreira jurídica para entrar na política partidária. Ainda não há clareza sobre o futuro do agora ex-procurador. A expectativa é que ele, assim como Moro, vá para o Podemos, partido que Alvaro Dias vem preparando desde 2018 para ser o partido da Lava Jato. Fontes ligadas à legenda, entretanto, disseram ao Plural que o destino de Deltan “é a pergunta que tem valido mais dinheiro hoje”.

Caso o destino seja, de fato, o Podemos, resta a dúvida sobre qual cargo Deltan disputaria. Alvaro Dias, que articulou politicamente a filiação de Moro ao partido, é senador pela sigla e deixa o Senado no fim do ano que vem. Portanto, caso queira pleitear uma vaga de senador, Deltan precisa disputar – ou combinar – com Alvaro quem será o candidato. Outra possibilidade, como informou Eliane Cantanhêde, no Estadão, é que ele saia candidato a deputado.

Entretanto, é difícil imaginar que lideranças partidárias possam achar uma boa ideia Deltan na Câmara. Na política de combate exercida pelos deputados, a voz de Deltan teria dificuldade em ser ouvida.

A entrada de Deltan Dallagnol na política partidária não é novidade. Em 2019, o Intercept Brasil revelou a partir de conversas vazadas pela Vaza Jato que ele considerou durante mais de um ano se candidatar ao Senado nas eleições de 2018 e que não descartou concretizar o plano em 2022.

O Plural é um jornal independente mantido pela contribuição de nossos assinantes. Ajude a manter nosso jornalismo de qualidade. Assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. E passa a fazer parte da comunidade mais bacana de Curitiba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

É de graça


E vai continuar assim. Mas o nosso trabalho só existe porque ele é financiado por você, leitora e leitor, e por parceiros. Ajude o Plural a continuar independente. Apoie e assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

Já é nosso assinante?
Faça seu login com email ou nome de usuário

Não é assinante?  Assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

This will close in 20 seconds