Giovana Madalosso escreve sobre desejos e aflições em "Suíte Tóquio"
12 out 2020 - 9h00

Quem sabe o mal que se esconde no coração das mulheres?

Giovana Madalosso sabe. Em “Suíte Tóquio”, a escritora curitibana explora os desejos e aflições de duas personagens bem diferentes

“Suíte Tóquio” é um livro de aflições. A de uma mulher que queria ser mãe e não conseguiu, e a de outra que teve uma filha, mas não se sente mãe.

Os capítulos se alternam entre duas histórias. Em uma, a babá Maju decide sequestrar Cora, uma criança de 4 anos que fica sob sua responsabilidade. Em outra, Fernanda, a mãe da menina, se vê apaixonada por uma mulher.

As duas tramas não são simultâneas. A de Fernanda começa um pouco antes do sequestro e, à medida que o livro avança, parece que as narrativas podem se encontrar em algum momento, numa espécie de acerto de contas. A espera pelo que vai acontecer torna também a leitura apreensiva, como se ela espelhasse os sentimentos de Maju e Fernanda. Mas o suspense é só um veículo e não a razão de ser do livro (isso vai ficar claro no fim).

Maju pega a menina Cora, uma mochila e um ônibus interestadual. O plano é escapar para o Paraguai, onde ela e a menina podem começar uma vida nova. Ela não é exatamente uma vilã, embora esteja sequestrando uma criança. O que move a babá é o amor que sente pela menina, “saindo de mim e passando por ela e voltando para mim”.

Em São Paulo, Fernanda trabalha como produtora de documentários e vive dentro de um longo casamento heterossexual. O marido dela parece ser um sujeito legal, que optou por ficar em casa cuidando da filha enquanto a esposa é quem paga as contas.

Quando se apaixona por Yara, a diretora que trabalha em um de seus projetos, Fernanda se surpreende um pouco, mas o desejo de viver a experiência é maior do que qualquer estranhamento: “eu não sentia nada parecido fazia muito tempo”, diz ela, “e quem se priva do que a vida oferece tão poucas vezes?”.

Tanto Maju quanto Fernanda têm quarenta e poucos anos. Elas desejam coisas diferentes, mas têm em comum a coragem (e a insensatez) de cometer ousadias em nome daquilo que querem.

A atmosfera de “Suíte Tóquio” pode ser de suspense policial, com um crime (o sequestro), uma traição (a de Fernanda) e até uma femme fatale (Yara). Mas Madalosso subverte expectativas e se preocupa menos com esses aspectos da história para prestar mais atenção nos sentimentos que movem suas duas protagonistas.

Livro

“Suíte Tóquio”, de Giovana Madalosso. Todavia, 208 páginas, R$ 59,90.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Um comentário sobre “Quem sabe o mal que se esconde no coração das mulheres?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias