Festa do Cinema Italiano, em versão on-line, exibe de graça 20 filmes novos | Jornal Plural
27 ago 2020 - 9h00

Festa do Cinema Italiano, em versão on-line, exibe de graça 20 filmes novos

Mostra tem filmes produzidos na Itália entre 2017 e 2020, e nove deles são inéditos no circuito brasileiro

Começa nesta sexta-feira (28), e vai até o dia 10 de setembro, a 8½ Festa do Cinema Italiano em versão on-line. Serão 20 filmes produzidos na Itália entre 2017 e 2020, nove deles inéditos no circuito brasileiro – uma safra novíssima do cinema feito na terra de Federico Fellini (cujo clássico, “8½”, dá nome ao evento).

Realizada numa parceria que envolve o governo da Itália e várias empresas, a Festa do Cinema Italiano funciona, durante a pandemia, nos moldes do Festival Varilux de Cinema Francês em Casa.

Todos os filmes da mostra ficarão disponíveis, de graça, dentro da plataforma Looke, na web e no aplicativo. Você só precisar fazer um cadastro rápido (com nome e e-mail, cria uma senha e confirma o cadastro pelo celular) para criar uma conta e acessar a programação.

Na página da 8½ Festa do Cinema Italiano, você pode ver quais são filmes e conferir os trailers. O site também separa os filmes por “inéditos” e oferece “percursos” – uma ideia bem legal.

Os sete percursos sugeridos pela mostra organizam os filmes em títulos que foram selecionados ou que venceram festivais de cinema, comédias, filmes sobre família (um tema bem italiano), “a Itália de hoje”, títulos mais experimentais, suspenses e produções baseadas em livros.

A seguir, confira uma seleção feita pelo Plural, com sete filmes que representam bem as peculiaridades do atual cinema italiano.

(Foto no alto da página: Luca Marinelli, em cena de “Martin Eden”. Crédito das imagens: Divulgação.)

1. “Martin Eden”

(2019.) Direção de Pietro Marcello. Com Luca Marinelli, Carlo Cecchi e Marco Leonardi. Drama, 129 minutos.

Inspirado pelo livro “Martin Eden”, do americano Jack London (1876-1916), autor mais conhecido por “Caninos Brancos”, a história fala de um jovem de origem humilde que deseja ser escritor. Quando publica seu primeiro livro, ele entra em choque com a lógica do mercado. O ator Luca Marinelli, no papel principal, foi premiado no Festival de Veneza.

2. “Fortunata”

(2017.) Direção de Sergio Castellitto. Com Jasmine Trinca, Stefano Accorsi e Alessandro Borghi. Drama, 103 minutos. Inédito.

Com uma vida difícil e um casamento fracassado, Fortunata é mãe de uma menina de oito anos e sonha em abrir um salão de beleza. Trabalhando como cabeleireira, ela atende em domicílio várias mulheres burguesas. O filme é apresentado como “um hino poético à fúria de viver”. A atriz principal, Jasmine Trinca, levou o prêmio de melhor atriz na mostra Un Certain Regard, do Festival de Cannes.

3. “Os mosqueteiros do rei”

(I Moschettieri del Re – La penultima missione, 2018.) Direção de Giovanni Veronesi. Com Pierfrancesco Favino, Valerio Mastandrea e Rocco Papaleo. Comédia, 109 minutos. Inédito.

O diretor Veronesi transformou o clássico francês escrito por Alexandre Dumas em uma paródia que fez bastante sucesso nos cinemas da Itália. Dá uma boa ideia de como funciona o humor italiano que conquista o gosto popular. No filme, os mosqueteiros não são mais mosqueteiros, mas um criador de gado, um guarda de castelo, um padre endividado e um bêbado dono de estalagem. Até serem chamados para uma “penúltima” missão, como diz o título original.

4. “Nico, 1988”

(2017.) Direção de Susanna Nicchiarelli. Com Trine Dyrholm, John Gordon Sinclair e Thomas Trabacchi. Drama, 93 minutos.

Cinebiografia que narra os dois últimos anos de vida da cantora Nico, uma das musas do artista plástico Andy Warhol e conhecida por ter sido vocalista da banda The Velvet Underground.

5. “A passagem”

(Il varco, 2019.) Direção de Federico Ferrone e Michele Manzolini. Drama, 110 minutos. Inédito.

Talvez o título mais estranho de toda a mostra, “A passagem” é um mockumentary, um documentário de mentira. O filme se passa na Segunda Guerra Mundial, em 1941, e acompanha um soldado italiano que luta ao lado dos nazistas, mas tudo o que ele quer, na verdade, é voltar para casa. Exibido no Festival de Veneza.

6. “Normal”

(2019.) Direção de Adele Tulli. Documentário, 70 minutos. Inédito.

Um documentário bastante premiado que aborda as normas de gênero na sociedade italiana, nos dias de hoje. A proposta do filme é mostrar como a feminilidade e a masculinidade são “performances ritualizadas” em todo tipo de interação entre as pessoas, até nas mais banais, da infância até a vida adulta.

7. “O aprendizado”

(L’apprendistato, 2019.) Direção de Davide Maldi. Documentário, 84 minutos. Inédito.

Um filme que parece transitar entre a ficção e o documentário, “O aprendizado” tem como proposta acompanhar a rotina de Luca, um jovem de 14 anos que estuda numa escola famosa de catering, responsável por formar garçons e maîtres. A instituição é extremamente rígida e, nela, os meninos têm aulas de culinária, etiqueta, lei e religião. O diretor Davide Maldi vai acompanhar Luca em várias das dificuldades que enfrenta até realizar seu primeiro teste antes de se tornar um profissional.

Streaming

8½ Festa do Cinema Italiano. Uma seleção de 20 filmes produzidos na Itália entre 2017 e 2020, disponíveis de graça na plataforma Looke, na web ou no aplicativo. De 28 de agosto até 10 de setembro.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias