24 mar 2022 - 12h58

Vida: a quem pertence?

Quais os limites da intervenção do Estado, através do Direito, nos estágios finais da vida de indivíduos em estado de saúde crítico?

A medicina não se ocupa única e exclusivamente com a cura e a superação de patologias.

Pelo contrário, parte de seus esforços é direcionada a mitigar o sofrimento e melhorar a qualidade de vida do paciente, especialmente nos casos terminais, em que o tratamento curativo já não conta com perspectivas de sucesso.

O que fazer, entretanto, quando o paciente rejeita ambas ou alguma dessas modalidades de tratamento? Quem deve ser responsabilizado pelo não fornecimento ou interrupção de terapias a pacientes em estado vegetativo persistente?

A discussão perpassa uma série de questões que, ao serem respondidas de modo interdependente, buscam fornecer um caminho adequada a ser seguido, tanto no âmbito da ética do profissional da saúde, quanto no aspecto jurídico-normativo.

Um dos pontos nodais envolve o debate sobre a titularidade e os limites à disposição do bem jurídico vida. De um lado, a doutrina majoritária, afirmando que se trata de um bem indisponível. De outro, uma minoria em defesa da autodeterminação e da liberdade individual de decidir quais tipos de tratamento médico receber, ainda que a recusa gere riscos à própria vida do paciente.

Curiosamente, ambas as perspectivas podem ser alvo de uma mesma crítica: o risco de que o raciocínio utilitarista reduza o indivíduo a um instrumento em favor da coletividade.

A vida, afinal, a quem pertence?

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

Radiocaos Sueto

Radiocaos Sueto Neste episódio os textos e ideias ao léu de Andressa Nuss, Jorge Luis Borges, Ronaldo Conde Aguiar, Marcelo Sandmann, Carlos Careqa, Amarildo Anzolin, Salvatore Quasimodo, Wally Salomão, Carlos Drummond de Andrade, Ivan Justen Santana, Tom Waits, Livia Lakomy, Maria Luiza Lago, Marilia Kubota, Mauricio Pereira, William Shakespeare com Miguel Falabella, Julia Graciela, Jean Garfunkel, Roberto Prado, Alice Ruiz, Reynaldo Jardim, Luci Collin, entre outros incansáveis das letras.

Redação Plural.jor.br