Um parceiro cada vez mais presente

celular
Celular foi assunto para as revistas Carta Capital e Veja, com casos positivos e trapalhadas de usuários

E, na semana passada, temos um dos episódios: para curtir uma praia, há quem tenha alugado uma casa. Ao chegar, todo feliz, a decepção: não pela falta da chave, mas do celular onde tinha registrado o endereço.

E tem os comentários de um leitor, Walcyr Carrasco:

– Sem celular, a vida desmorona. Desde quando tudo isso começou, quando se tornou um pilar da existência? Não sei dizer. Mas é fato. Impossível ficar sem celular. A vida desmorona. Sou da época da tabuada. Ainda multiplico, divido…

Não passo de um dinossauro. Ninguém mais calcula. Tecla. O primeiro aparelho que tive era semelhante a um tijolo, pesado.

Mal efetuava as ligações. Um baita trambolho.

Sobre o/a autor/a

Compartilhe:

Leia também

O (des)encontro com Têmis

Têmis gostaria de ir ao encontro de Maria, uma jovem vítima de violência doméstica, mas o Brasil foi o grande responsável pelo desencontro

Leia mais »

Melhor jornal de Curitiba

Assine e apoie

Assinantes recebem nossa newsletter exclusiva

Rolar para cima