28 mar 2022 - 11h21

Arquidiocese envia carta a vereadores pedindo que Câmara não casse Renato Freitas

Documento admite que manifestação na Igreja do Rosário ocorreu após o fim da missa

A Mitra da Arquidiocese de Curitiba enviou uma carta aos vereadores da cidade pedindo que o vereador Renato Freitas (PT) não seja cassado. O petista enfrenta um processo no Conselho de Ética por ter feito um protesto antirracista dentro da Igreja do Rosário em 5 de fevereiro deste ano. Vários integrantes da Câmara pediram a cassação de Freitas por quebra de decoro, afirmando que ele invadiu o local e desrespeitou a Igreja Católica.

Na manifestação da Igreja, enviada ao vereador Sidnei Toaldo (Patriotas), relator do caso no Conselho de Ética da Câmara, a Mitra sugere que a punição seja proporcional aos fatos. Ao contrário do que vários vereadores afirmaram, a Arquidiocese confirma o que Renato sempre disse e que ficava claro nos vídeos: que o vereador só entrou para se manifestar na igreja depois do fim da missa.

A carta da Arquidiocese inclusive faz elogios à luta antirracista do vereador. O protesto marcado para a frente da Igreja do Rosário, símbolo da história dos negros em Curitiba por ter sido construída originalmente por escravos, no século dezoito, tinha como origem o assassinato de dois homens negros nos dias anteriores, um congolês e um brasileiro.

“A manifestação contra o racismo é legítima, fundamenta-se no Evangelho e sempre encontrará o respaldo da Igreja”, diz o documento. “Percebe-se no vereador o anseio por justiça em favor daqueles que historicamente sofrem discriminação em nosso país. A causa é nobre e merece respeito.”

O texto diz que houve excessos na manifestação e diz que a Igreja “em favor de uma medida disciplinadora proporcional ao incidente”, mas evitando a pena de cassação.

O documento pode ser fundamental na defesa de Freitas, uma vez que a Igreja Católica é vista como a principal vítima dos atos do vereador. As reclamações da Cúria, inclusive, foram um dos fatores fundamentais para que os vereadores entrassem com os pedidos de processo disciplinar contra o colega. Portanto, a admissão de que os fatos se deram apenas após o fim da missa e o pedido para que ele não seja cassado certamente terão um peso.

Freitas, que está no primeiro mandato, já foi levado uma vez ao Conselho de Ética anteriormente por ter criticado vereadores evangélicos. A bancada religiosa, desde então, vê no vereador um inimigo e liderou os pedidos por sua cassação.

Confira a íntegra da carta:

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

16 comentários sobre “Arquidiocese envia carta a vereadores pedindo que Câmara não casse Renato Freitas

  1. A manifestação da Igreja resgata os compromissos com os pobres e marginalizados e retira da direita um argumento de cassação .

  2. Não aprovo excessos, mas no caso excesso será cassar o vereador pela luta justa e legal. Certa a nota da Igreja, arquive-se o processo ou os processos a pedido da suposta principal vitima, que sirva de exemplo para amadurecer e incentivar os atos de protestos .

  3. “A manifestação contra o racismo é legítima, fundamenta-se no Evangelho e sempre encontrará o respaldo da Igreja”, diz o documento. “Percebe-se no vereador o anseio por justiça em favor daqueles que historicamente sofrem discriminação em nosso país. A causa é nobre e merece respeito.”
    Fico feliz e aliviado porque a igreja consegue ver e enfatizar isso.

  4. Trata-se de mais um ato racista da comissao de ética. É uma roda viva, um circo vicioso que vai açoitando os negros desde antes mesmo da infame escravidão. É preciso pôr um basta nisto que é visto e aceito como que um hábito, um comportamento normal: os atos de racismo.

  5. A manifestação do vereador renato é mais que legitima e exegimo respeito,,estamos e defendemos à democracia e a liderdade de se expressar

  6. Estive participando da manifestação em frente à Igreja do Rosário dos Pretos e acompanhamos os fatos, inclusive o da entrada na Igreja.
    Acredito na legitimidade das manifestações e no excesso oportunista de parte de vereadores que querem cassar o Renato.
    A manifestação da Igreja é oportuna!
    Democracia já é sempre!

  7. O vereador Renato Freitas, defende os direitos dos pobres e oprimidos, age como Jesus Cristo agia quando estava aqui na terra. Sua manifestação é justa.
    Graças a Deus, que a Igreja Católica reconheceu isso.

  8. Isso que estão fazendo com Renato e perseguição política discriminação não aceitação de um vereador que luta por pessoas que na visão discriminatória deles são peso na sociedade e não são contribuinte

  9. Não estamos na pele deles. Por isso tanta perseguição e injustiça. Não à cassação de Renato Freitas. Parabéns ao Vereador!

  10. A cassação do Renato é uma afronta à democracia, os fascistas que defendem são os mesmos que defendem e acatam uma política bipolarizada, armamentista, misógina, racista, homofóbica e retrógrada, com Norte na ideologia opressora do Bolsonarismo, que contaminou nossa nação.

  11. Legítimas mais do que justas as bandeiras empunhadas pelo #renatofreitasvereador.
    TMJ com ele, que faz o bom combate nas causas escamoteadas pela Grande Mídia. A ela não interessa um povo ciente de seus direitos

  12. Que passada de pano hein !!
    Infelizmente até a Arquidiocese de Curitiba, com o seu Bispo Dom José Antonio Peruzzo, totalmente ligado a teologia da libertação e as pautas identitarias de esquerda, agora tentam aliviar o que esse vereador maloqueiro fez. Deve ser cassado exemplarmente, invadiu e desrespeitou a celebração sim.

  13. Não cassem o Vereador, alguns chamam de maloqueiro ele apenas errou. Quem não erra. Não falha… Ele passou por tanta coisa, viu tantas injustiças.. Ele tem vontade .. vontade de ajudar… e no meio dessa agitação, tudo que está preso por dentro acaba saindo a revolta e no meio da ansiedade naquela vibração de energia eles foram tomados por falar, gritar e acabaram errando .. Enfim a gente vê tantas injustiças, tantos desvios de dinheiro, roubos sendo feitos na nossa frente e a grande maioria
    são cassados???.. O que fazemos ???NADA…NADA…NADA…. Por que falam bonito, usam roupas modernas.. Roubam e continuam roubando mas com elegância…Esses não dá nada são presos e logo são soltos… e continuam sendo pagos com o nosso dinheiro…. Vejam e acordem!!! Pagamos os melhores hotéis, salários, viagens, vale moradia, refeições até condução com motorista e até ajudamos com bolsa nas melhores faculdades dos filhos que não são nossos com todas as regalias. Quantos são beneficiados com isso?,Sem contar com a nossa Lei que é muito branda em casos de roubos, assaltos, estupradores, mortes, abusos em geral, tráfico e sem contar com o circo que fizeram sobre as investigações sobre a postura em frente a pandemia que pelo menos fizessem os governantes… devolverem o dinheiro que era pra ser gasto de forma correta na pandemia. Fizessem a cassação desses desvios. Simples assim… Quem tem dinheiro em muitos casos são soltos ficam em liberdade pra responder…. Enfim tantas injustiças maiores que essa manifestação que acabou no final com uma postura errada, mas não é motivo de cassação e sim de uma correção disciplinar. Se querem agir conforme a Lei que seja pra todos sem discriminação. Roubou na cueca Cassação, sem direito a salário, desviou dinheiro cassação sem direito a salário e devolução do dinheiro. Ah não acabaram a obra e cadê o dinheiro Cassação e devolução do dinheiro não paga uma obra sem terminar e pronto.. E verificar a qualidade dos materiais tem q ter fiscalização e nos preços também. Fazer o que é certo. Tem que mudar essa bagunça que estamos….

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

Radiocaos Sueto

Radiocaos Sueto Neste episódio os textos e ideias ao léu de Andressa Nuss, Jorge Luis Borges, Ronaldo Conde Aguiar, Marcelo Sandmann, Carlos Careqa, Amarildo Anzolin, Salvatore Quasimodo, Wally Salomão, Carlos Drummond de Andrade, Ivan Justen Santana, Tom Waits, Livia Lakomy, Maria Luiza Lago, Marilia Kubota, Mauricio Pereira, William Shakespeare com Miguel Falabella, Julia Graciela, Jean Garfunkel, Roberto Prado, Alice Ruiz, Reynaldo Jardim, Luci Collin, entre outros incansáveis das letras.

Redação Plural.jor.br