fbpx
Notícias de Curitiba | Vizinhança

Assembleia quer gastar até R$ 143 mil em café e bebidas quentes

Escrito por Alexsandro Ribeiro
Compartilhe

Não vai faltar café para tocar as votações dos projetos de lei e debates sobre temas de importância da sociedade na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). Segundo edital publicado no portal da transparência, a Casa está disposta a comprar 5,5 toneladas de pó de café. O custo da licitação, que prevê também a compra de chá e açúcar para atender o plenário e as demais áreas da Casa, pode chegar a R$ 143 mil aos cofres da Alep.

Pela tabela de referência de preços do edital, cada pacote de 500 gramas de café “extra forte, gosto predominante de café arábica, permitida a presença de café conilon” embalado a vácuo pode custar até R$ 11,66. Pelo site de pesquisa Menor Preço, mantido pelo governo com base nos dados do programa Nota Paraná, um produto com as mesmas especificidades apontadas no edital é encontrado próximo à Assembleia ao custo de R$ 8,90 o pacote, cerca de 30% abaixo do teto estipulado.

A compra de café será dividida em dois lotes, um de até 8,2 mil pacotes para disputa geral ao custo de até R$ 96 mil, e outro com 2,7 mil pacotes ao custo de até R$ 32 mil restrito à participação de microempresas. Nos dois casos, os vencedores do edital deverão entregar o produto embalado pelo processo de vácuo puro, material atóxico, em embalagem double ou single wall.

O contrato será para fornecimento do produto por 12 meses. Considerando os dias úteis de funcionamento da Casa ao longo de um ano, as 5,5 toneladas de pó de café dariam para servir 8,9 mil doses diárias de café coado de 50 ml cada, segundo estimativa de site especializado. Já a mesma quantidade de pó, renderiam 6,3 mil doses de café expresso de 50 ml ao dia. Apesar dos valores e dos totais de pacotes com referência, a Assembleia não é obrigada a comprar todo o material cotado.

Além do café, o edital da Alep prevê ainda compra de até 4,7 toneladas de açúcar refinado ao preço unitário de até R$ 2,9 e de R$ 13 mil o lote; de 414 caixas de chás variados, entre camomila, cidreira, erva doce, hortelã e chá verde, ao custo unitário que varia entre R$ 2,6 a R$ 3,5 a caixa de chá, e com valor de até R$ 15 mil o lote. A licitação será realizada no próximo dia 18 de julho. Confira o edital completo no site da Alep.  

O jornalismo preciso, sério e de qualidade do Plural só é possível graças ao apoio de nossos assinantes. Todos os dias publicamos uma média de 23 reportagens, colunas, crônicas, análises, charges, tirinhas, literatura e muito mais. Nada disso é de graça, mas está disponível porque há quem invista em informação plural de qualidade. Apoie essa ideia. Assine o jornalismo do Plural.

Sobre o autor

Alexsandro Ribeiro

Alexsandro Ribeiro – é jornalista, integrante da agência Livre.jor e é pouco criativo para autobiografia e para dar nome para animal de estimação. Tem um gato chamado Gato.

Deixe seu comentário