Justiça tira igrejas de atividades essenciais, mas rejeita lockdown | Jornal Plural
Clube Kotter
4 jul 2020 - 14h36

Justiça tira igrejas de atividades essenciais, mas rejeita lockdown

MP havia pedido restrição plena a atividades não essenciais nas regiões Oeste e Leste do estado

O juiz Eduardo Lourenço Bana, da 4ª Vara de Fazenda Pública, decidiu acolher parcialmente um pedido do Ministério Público do Paraná (MP-PR) para suspender o Decreto 4388/2020 que tornou as atividades religiosas serviços essenciais. Foi a única solicitação feita pelo MP acatada pelo magistrado.

Os promotores haviam também solicitado a decretação de lockdown, com suspensão e bloqueio pleno a atividades não essenciais nas regiões Oeste e Leste do estado, mas o pedido foi rejeitado pelo juiz. Ele entendeu que as medidas tomadas pelo governo esta semana, que aumentaram a restrição a atividades nessas regiões, buscam reduzir a contaminação pelo novo coronavírus.

Com a retirada das igrejas do rol de serviços essenciais, essas instituições deixam de poder abrir as portas enquanto durarem as medidas de restrição de atividades, inicialmente previstas até 14 de julho.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias