Governo quer militarizar 215 escolas no PR; veja lista | Jornal Plural
26 out 2020 - 18h29

Governo quer militarizar 215 escolas no PR; veja lista

Na Grande Curitiba são 56; pais e educadores participam de consulta pública presencial nesta terça (27) e quarta (28)

O governo do Paraná abre, nesta terça (27) e quarta-feira (28), consulta pública para saber o que a comunidade escolar acha da militarização de 215 escolas da Rede Estadual de Ensino; 56 delas na Região Metropolitana de Curitiba. Os participantes devem comparecer presencialmente às instituições e responder sim ou não à integração ao programa federal.

A consulta será entre 8h e 20h, nos próprios colégios indicados para integrar o programa (veja lista abaixo!). Podem votar professores, funcionários, estudantes com mais de 18 anos e pais de alunos, que têm direito a um voto para cada filho matriculado. É necessário levar documento com foto e uma caneta. A consulta pública só terá validade se, pelo menos, a metade (50% mais um) da comunidade participar da votação.

Opinião: Não militarizem as escolas; desmilitarizem a polícia

A escolha das instituições participantes considerou municípios com mais de 10 mil habitantes, áreas de vulnerabilidade social e baixos índices de rendimento escolar. Mesmo com críticas de entidades ligadas à educação, a proposta foi aprovada na Assembleia Legislativa do Paraná, no fim de setembro, e está alinhada com o programa cívico-militar do Ministério da Educação (MEC). Ela permite compartilhar com os militares a gestão educacional, didático-pedagógica e administrativa das escolas.

Confira abaixo os colégios estaduais da Região Metropolitana de Curitiba que podem se transformar em escolas cívico-militares. A lista completa no Paraná você vê aqui!

Almirante Tamandaré – JACI REAL P DE OLIVEIRA C E PROFA E F M

Almirante Tamandaré – MARIA LOPES DE PAULA C E PROFA EF M

Almirante Tamandaré – FLORIPA TEIXEIRA DE FARIA C E EF M

Araucária – LINCOLN S COIMBRA C E EF M

Araucária – DIAS DA ROCHA C E EF M

Araucária – MARIA DA G S SILVA E LIMA C E PROF EFM

Campina Grande do Sul – BANDEIRANTES C E EF M

Campo Largo – 1 CENTENÁRIO C E EF M

Campo Largo – MACEDO SOARES C E EF M

Campo Magro – CAMPO MAGRO C E EF M

Colombo – JOÃO BOSCO C E D EF M

Colombo – TANCREDO DE A NEVES C E EF M

Colombo – ALFREDO CHAVES C E EF M

Colombo – ALTAIR DA SILVA LEME C E PROF EF M

Colombo – HELENA KOLODY C E EF M

Curitiba – SEGISMUNDO FALARZ C E EF M

Curitiba – GETÚLIO VARGAS C E EF M

Curitiba – MANOEL RIBAS C E ED EM TEMPO INT EF M

Curitiba – OLAVO DEL CLARO C E PROF EF M

Curitiba – ERMELINO DE LEAO C E EF M

Curitiba – GOTTLIEB MUELLER C E EF M

Curitiba – JOÃO DE OLIVEIRA FRANCO C E EF M

Curitiba – JOÃO MAZZAROTTO C E EF M

Curitiba – MANOEL A GUIMARÃES C E SEN EF M

Curitiba – SEBASTIÃO SAPORSKI C E EF M

Curitiba – GUARDA MIRIM DO PARANA C E EM

Curitiba – ATTICO EUSÉBIO DA ROCHA C E D EF M

Curitiba – REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI E E EF

Curitiba – JOÃO WISLINSKI C E PE EF M

Curitiba – CECILIA MEIRELES C E EF M

Curitiba – ISABEL L S SOUZA C E PROFA EF M

Curitiba – ARLINDO CARVALHO DE AMORIM C E EF M

Curitiba – JOÃO LOYOLA C E PROF EF M

Curitiba – ETELVINA C RIBAS C E PROFA EF M

Curitiba – LUIZ CARLOS DE P E SOUZA C E P E F M

Curitiba – SENHORINHA M SARMENTO C E EF M

Curitiba – YVONE PIMENTEL C E EF M

Fazenda Rio Grande – ANDERSON RANGEL C E PROF EF M

Fazenda Rio Grande – JOÃO HOINATZ DE ANDRADE E E PROF EF

Lapa – CARNEIRO C E GAL EF NORMAL

Lapa – MANOEL A DA CUNHA E E EF

Mandirituba – MIREILLE MARIA F Z MACHADO E E PROF EF

Pinhais – LUARLINDO DOS REIS BORGES E E EF

Pinhais – SEMIRAMIS DE B BRAGA C E EF M

Piraquara – VILA MACEDO C E EF M PROFIS

Piraquara – IVANETE M DE SOUZA C E EF M

Piraquara – ROMÁRIO MARTINS C E EF M

Quatro Barras – ELIAS ABRAHAO C E EF M

Quitandinha – ELEUTERIO F DE ANDRADE C E EF M

Rio Branco do Sul – MANOEL B DE MACEDO C E PROF EF M

Rio Negro – CAETANO M ROCHA C E PRES EF M

Rio Negro – OVANDE DO AMARAL C E DR EF M

São José dos Pinhais – ANTÔNIO VIEIRA C E PE EF M

São José dos Pinhais – SHIRLEY C T MACHADO C E EF M

São José dos Pinhais – ZILDA ARNS NEUMANN C E DRA EF M

São José dos Pinhais – CHICO MENDES C E EF M

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

11 comentários sobre “Governo quer militarizar 215 escolas no PR; veja lista

  1. Foi consultada a Assembléia Legislativa do Paraná. E será que foi consultado o Conselho Estadual de Educação do Paraná, que tem por dever, opinar através de um Parecer. Será que foi consultado ?

  2. Concordo plenamente, apesar de não ter filhos nessa faixa etária, acredito que vai ajudar muita na educação ( hoje vi um carro fazendo propaganda para não aceitar a militarização, argumentando que o aluno na escola militarizada não se torna um cidadão livre e uma falta de conhecimento e respeito com os militares.

  3. Precisamos desse norte militar, enraizados na educação , do futuro de nossas nações, essa qualidade de ensino é de extrema importância fundamental, educação de qualidade, ensinamentos de moral ética, educação financeiro, mais segurança para os professores realizarem seus serviços, regra , disciplina , chega de bombas, drogas, bebidas, tráfico, dentro dos colégios, chega dessa atual educação programada vindo do governo, me abriu uma esperança no final do túnel, Avante Militarização Nas Escolas Já

  4. Quem te disse isso? Professores serão mais valorizado e respeitados. E estudantes, terão que estudar, o que hoje, não acontece. Professores fingem, que ensinam e alunos fingem, que aprendem. Simples assim.

  5. Lugar de milico é no quartel, pintando meio fio e carpindo lote. Não se deve misturar as coisas, escola é lugar para professores administrar, não cuidam nem da segurança do Estado, e agora querem cuidar da educação de nossas crianças. Se querem tanto crianças para educar, tem um monte delas abandonadas em orfanatos pelo Estado.

  6. Prezados, estão equivocados sobre a proposta, quando ouvimos a palavra militarização pensamos primeiramente em disciplina e respeito ao próximo, de fato isto é muito bom e todos merecemos, porém não é isto que diz a proposta, a idéia é usar militares já aposentados, ou seja, eles já recebem aposentadoria do governo e irão recebe um salário adicional pra isto, em poucas palavras, tirar o emprego de alguém que precisa para alguém que não precisa!!! A proposta diz ainda que é até 4 profissionais, ou seja 4 empregos. E o ensino noturno? Realocar aquele que trabalha durante o dia e se obriga a estudar a noite para se formar e ter uma melhor condição de vida para um outro local, talvez longe talvez perto? Sobre a nomeação da direção seria a própria secretaria que irá “escolher” (para não dizer indicar quem ela quer). Hoje o diretor da escola se não fizer um bom trabalho basta levar a situação pra ouvidoria da secretaria, mas agora um diretor militar elegido pela secretaria, seria julgado por quem??? Por ela mesma??? Pensando mais além, no educação irão aplicar estudos em civismo, ética, respeito e cidadania, precisa mesmo de um militar pra isto? Vão retirar as aulas de sociologia e filosofia? Nossos filhos crescerão com a mentalidade de não poder criticara e se manifestar? Temos muitas perguntas a serem feitas e ainda sem resposta, temos que pensar um pouco mais sobre, porque o Paraná aceitou e os demais estados como ficam? A educação em nosso estado será uma base para estatística mesmo? Ou vão pegar escolas já que tem boa estrutura e educação pra dizer ao resto que foi tudo por causa do trabalho militar? Fui.

  7. A militarização das escolas MATA a liberdade, MATA a diversidade, MATA o amor dos professores por sua profissão, MATA a luta por mais valorização.
    A militarização das escolas ALIMENTA a sociedade alienada, ALIMENTA o homem obediente, ALIMENTA a mão-de-obra silenciosa, ALIMENTA as rédeas do pensamento crítico e cria homens feitos para trabalhar quietos e aceitar tudo que os governantes querem sem se queixar. Pois afinal, o Estado odeio a Educação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias