Família recorre à DPU para conseguir medicamento que custa R$ 12 mil para criança

Menino mora com a família em Colombo, RMC, mas prefeitura afirma que não pode fornecer o medicamento pois ele não consta na lista do município

Uma família de Colombo recorreu à Justiça para conseguir o medicamento Dupilumabe, para tratar dermatite atópica grave que acomete um menino de seis anos de idade. O remédio custa cerca de R$ 12 mil e a prefeitura disse que ele não está disponível na farmácia do município.

De começo a família entrou em contato com o Ministério Público do Paraná (MPPR), que remeteu o caso para a Defensoria Pública da União (DPU).

A criança, conforme publicação em diário oficial, já fez tratamento com outros medicamentos, mas eles não foram capazes de melhorar o quadro clínico do paciente. De acordo com a descrição do receituário, publicada no procedimento administrativo do MPPR, são necessárias duas injeções de começo para o paciente e depois disso uma a cada quatro semanas.

 Leia também: Associação denuncia violência contra mulheres indígenas

Uma pesquisa no buscador do Google, realizada nesta terça-feira (21), indica que há ampolas disponíveis na rede privada que ultrapassam o valor de R$ 14 mil.

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), procurada por e-mail, afirmou que o dupilumabe “não é padronizado, ou seja, não consta na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename) do SUS”.

O caso seguirá para a Justiça.

Sobre o/a autor/a

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Plural se reserva o direito de não publicar comentários de baixo calão, que agridam a honra das pessoas ou que não respeitem níveis mínimos de civilidade. Os comentários são moderados por pessoas e não são publicados imediatamente.

Rolar para cima