27 nov 2019 - 15h36

Bitcoin Banco: Justiça aceita pedido de recuperação judicial

Ações de execução e protestos ficam suspensos

A Justiça do Paraná acatou nesta quarta-feira, dia 27 de novembro, o pedido de recuperação judicial das oito empresas do Grupo Bitcoin Banco. O grupo havia pedido a recuperação foi protocolado logo após um pedido de falência protocolado por duas clientes. Com a decisão, ficam suspensas todas as ações de execução movidas contas as empresas, assim como protestos apresentados em cartório.

A declaração de recuperação judicial coloca a devolução do dinheiro investido por centenas de clientes no Brasil sob um cronograma a ser definido no plano de recuperação. Pela decisão o administrador judicial tem 60 dias para apresentar a proposta de recuperação.

À Justiça, o grupo declarou uma dívida de R$ 606 milhões, cujo principal credor é Johny Pablo Santos, que é presidente da Bitcurrency Moedas Digitais S.A, uma das empresas em recuperação. Os valores apresentados, no entanto, são contestados por inúmeros clientes em grupos do Whatsapp e Telegram que reúnem as pessoas que tinham negócios com o grupo.

Na decisão da 1a. Vara de Falências de Curitiba, a juíza Mariana Gluszcynski Fowler Gusso determinou um prazo de 5 dias para que o grupo apresente a documentação faltante e 60 dias para apresentação do plano de recuperação. Com a declaração de recuperação judicial, as empresas do grupo podem voltar a atuar normalmente, uma vez que a manutenção do negócio é um dos objetivos desse recurso.

A juíza também indicou que clientes e demais credores devem procurar o administrador judicial, a EXM – Exame Auditores Independentes, na pessoa de Eduardo Scarpellini, para se habilitarem como credores.

Em nota, o Grupo Bitcoin Banco se manifestou sobre a decisão. Confira:

“O Grupo Bitcoin Banco informa que, nesta quarta-feira (27), foi deferido o processamento do pedido de Recuperação Judicial do GBB pela juíza da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de Curitiba. A decisão favorável veio a partir do reconhecimento pelo Poder Judiciário, da capacidade de retomada do negócio e determinou o imediato desbloqueio dos ativos que impediam a instrumentalização da operação.

O GBB considera esta uma vitória fundamental para a reorganização dos negócios e a superação da crise econômico-financeira, uma vez tem ao seu lado a supervisão direta do Poder Judiciário, por meio do Administrador Judicial, seguindo um procedimento efetivo, transparente e, principalmente, que elimina o excessivo movimento que se formou contrário à retomada dos negócios do GBB.

O próximo passo é a formatação do plano de recuperação – em um prazo de 60 dias a contar da data de deferimento do pedido – que apresenta em juízo uma solução viável para a reestruturação dos negócios do Grupo.

A recuperação judicial tem por objetivo viabilizar a superação da situação de crise econômico-financeira do GBB, a fim de permitir a manutenção da fonte produtora, do emprego dos trabalhadores e dos interesses dos credores, promovendo, assim, a preservação das empresas, sua função social e o estímulo à atividade econômica”.

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você entra na nossa lojinha, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

6 comentários sobre “Bitcoin Banco: Justiça aceita pedido de recuperação judicial

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

Radiocaos Sueto

Radiocaos Sueto Neste episódio os textos e ideias ao léu de Andressa Nuss, Jorge Luis Borges, Ronaldo Conde Aguiar, Marcelo Sandmann, Carlos Careqa, Amarildo Anzolin, Salvatore Quasimodo, Wally Salomão, Carlos Drummond de Andrade, Ivan Justen Santana, Tom Waits, Livia Lakomy, Maria Luiza Lago, Marilia Kubota, Mauricio Pereira, William Shakespeare com Miguel Falabella, Julia Graciela, Jean Garfunkel, Roberto Prado, Alice Ruiz, Reynaldo Jardim, Luci Collin, entre outros incansáveis das letras.

Redação Plural.jor.br

É de graça


E vai continuar assim. Mas o nosso trabalho só existe porque ele é financiado por você, leitora e leitor, e por parceiros. Ajude o Plural a continuar independente. Apoie e assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

Já é nosso assinante?
Faça seu login com email ou nome de usuário

Não é assinante?  Assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

This will close in 20 seconds