“Enola Holmes” conta história da irmã mais jovem de Sherlock | Jornal Plural
25 set 2020 - 9h00

“Enola Holmes” conta história da irmã mais jovem de Sherlock

Filme com a atriz Millie Bobby Brown, a 11 de “Stranger Things”, está em cartaz na Netflix

A história de “Enola Holmes”, filme em cartaz na Netflix, é sobre a irmã mais nova de Sherlock e Mycroft. A menina de 16 anos quer encontrar a mãe que desapareceu aparentemente sem deixar rastros nem pistas.

Na ausência da mãe, o mais velho Mycroft, que é meio babaca, assume a guarda da irmã e se preocupa muito em ensinar etiqueta para a garota.

Na primeira vez que revê Enola, depois de anos distante, uma das primeiras coisas que ele diz é: “Onde estão seu chapéu e suas luvas?”. Quando ela responde que não gosta de usar chapéu e que nunca teve luvas, ele fica horrorizado. É a Inglaterra do século 19.

Sherlock, por sua vez, fica encarregado de encontrar a mãe.

Enola (interpretada por Millie Bobby Brown, a 11 de “Stranger Things”) será mandada para um colégio interno e acaba se envolvendo em problemas que não têm nada a ver com ela.

A garota não consegue ver alguém em perigo e não fazer nada. (Esse “alguém” é um jovem visconde perseguido por questões políticas.)

Sherlock é interpretado por Henry Cavill (você provavelmente conhece ele como “Super-Homem”). Cavill é carismático demais para fazer alguém frio, calculista e quase estritamente racional, como o Sherlock criado por sir Arthur Conan Doyle (1859-1930).

Sherlock mostra ser perspicaz desde a primeira cena em que aparece. Ao entrar na casa da mãe, já vai remexendo as coisas, e olhando cada detalhe. Mesmo não sendo um filme sobre o Sherlock Holmes, ele continua sendo o melhor personagem da história.

Enola tem a mesma inteligência e capacidade de dedução do irmão, mas ainda é muito jovem. O filme todo tem essa mentalidade jovem: é agitado e inocente como a própria Enola.

Apesar de ter assassinatos e crimes, não é um filme pesado, que vai te fazer sofrer ou quebrar a cabeça. É mais pra relaxar e se desligar um pouco das tarefas cotidianas.

Isso, apesar de ser uma qualidade, pode também ser uma desvantagem. Não tem nenhum acontecimento muito marcante. “Enola Holmes” é bom, e segue assim, sem pontos altos ou baixos até fim.

Streaming

“Enola Holmes” está em cartaz na Netflix.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assuntos:

Últimas Notícias