Manual de etiqueta: 5 práticas para ser bom cliente no delivery de comida
20 jul 2021 - 10h05

Manual de etiqueta: 5 práticas para ser um bom cliente no delivery

Antes de xingar o motoboy e dar nota zero para o restaurante, respire fundo e siga essas dicas

Já recebeu comida fria no delivery, xingou o motoboy e avaliou negativamente o restaurante no aplicativo? A máxima diz que o cliente tem sempre razão, mas donos de restaurantes e empresas de delivery alertam que há fatores que fogem do controle e erros na entrega podem ocorrer, mesmo numa operação rodada.

Se o prato chegou frio ou com muito atraso em relação ao tempo estimado pelo aplicativo de delivery, a responsabilidade pode não ser do restaurante, nem do motoboy. Com frequência, a culpa recai no cliente anterior que deixou o entregador esperar por “horas” antes de retirar a comida.

“É muito comum, por exemplo, o cliente pedir comida enquanto está voltando para casa. Quando chega a entrega, a pessoa ainda está presa no trânsito e o motoboy é obrigado a aguardar. Isso atrapalha toda a cadeia”, explica Tcharles Fernando dos Reis, sócio da MTLog, empresa de logística especializada em entregas de comida, em Curitiba.

Outros acidentes comuns acontecem quando o cliente demora para encontrar o entregador ou pede que ele suba até o apartamento, ou ainda quando o porteiro recebe a quentinha, mas, por alguma razão, não avisa imediatamente o morador. 

Sem saber o motivo do atraso, o cliente recorre ao único recurso à disposição: avaliar negativamente o restaurante, o motoboy e, na pior das hipóteses, deixar de pedir em determinado estabelecimento. 

A empresária Yasmin Taketani, sócia do restaurante Pasta Basta, em Curitiba, sugere que, antes de reclamar do atendimento nas redes sociais ou dar zero estrelas no app, o freguês faça contato com o estabelecimento para tentar solucionar o problema de forma amistosa.

“No restaurante, as pessoas se comportam de maneira diferente do que no delivery. No salão, elas percebem que há outras pessoas e que o mundo não está girando em volta delas. No delivery, a percepção é que o restaurante e o entregador estão trabalhando apenas em função delas, mas não é assim”, explica Yasmin.

Entenda quais são os acidentes mais comuns durante a entrega e como ser um bom cliente do delivery com este manual de etiqueta.

1.Não avalie restaurante em dia de chuva

“Dia de chuva é o pior dia: a frota de entregadores fica reduzida e a demanda aumenta exponencialmente. Nesse dia é muito fácil ocorrer atrasos ou os entregadores sofrerem acidentes de trânsito”, diz Tcharles.

Ele recomenda que o cliente evite avaliar o restaurante negativamente se for pedir comida em dia de chuva e tropeçar em algum imprevisto. Se for a primeira vez que você pede comida naquele restaurante e se decepcionou, dê mais uma chance: o clima pode ser o culpado pela sua experiência ruim.  

2. Não vá tomar banho enquanto aguarda comida

Yasmin sugere que, após ter feito o pedido, o cliente acompanhe o status da entrega e fique de prontidão para receber a comida. Nada de fazer o pedido enquanto ainda estiver fora de casa ou ir tomar um banho demorado. Evite também pedir que o entregador vá até a porta do seu apartamento ou que o porteiro retire a comida por você.

Além do seu, o motoboy pode estar transportando outros pedidos para a mesma região da cidade e o atraso causado por você pode impactar negativamente nas entregas seguintes.

3. Dê gorjeta sempre que possível

Os motoboys costumam ser Microempreendedores Individuais (MEI) e o modelo, ao mesmo tempo em que deu liberdade para o trabalho em horários flexíveis, retirou grande parte das garantias trabalhistas. As condições de trabalho dos entregadores são inclusive um dos principais fatores – junto com as taxas cobradas pelos aplicativos – para que diversos empreendimentos gastronômicos não usem as plataformas de delivery

A dica de quem trabalha no setor é aproveitar, sempre que um restaurante oferece entrega grátis, reverter esse dinheiro que seria economizado para o entregador. “Um entregador que consiga R$ 15 de gorjeta numa noite já pagou a gasolina que gastou para rodar”, afirma Tcharles. 

4. Antes de xingar, fale com o restaurante

O refrigerante não veio ou, por alguma razão, você se decepcionou com o serviço? Antes de xingar o restaurante nas redes sociais ou dar zero estrelas no aplicativo, entre em contato com o estabelecimento e explique o ocorrido. Do outro lado, há pessoas dispostas a ouvirem e a aprimorarem o serviço e, provavelmente, a oferecerem algum tipo de compensação.

“Tivemos um cliente que reclamou que a massa veio com pouco molho e imediatamente mandamos uma porção extra de molho. Mesmo assim nos avaliou negativamente. Receber nota zero por bobeira ferra com o restaurante”, comenta Yasmin. Ela recomenda que o cliente se comporte na internet da mesma forma que agiria no salão de um restaurante. 

5. Respeite motoboy e restaurante

Independente de qual for a falha, evite ser mal-educado com o motoboy e com a equipe do restaurante. “Às vezes, a gente recebe mensagens bem rudes, como se a pessoa tivesse falando com um robô, mas do outro lado há pessoas atendendo e trabalhando para que o serviço seja o melhor possível”, diz Yasmin.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Um comentário sobre “Manual de etiqueta: 5 práticas para ser um bom cliente no delivery

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias