Alfajores uruguaios esperam turistas dos cruzeiros de verão

Um alfajor uruguaio com um cafezinho é coisa pra se guardar no fundo do coração

O alfajor foi introduzido na América Latina no período colonial e até hoje é um dos doces mais consumidos no Uruguai. Diz a história que nasceu em Mendina Sidonia, na Andaluzia, em meados de 711 e foi trazido para a Espanha durante a dominação muçulmana, já com o nome de alfajor ou alfachor. Como no caso da parrilla, também há uma disputa com os argentinos pelo produto de melhor qualidade. Com a grande produção de bovinos, é de se esperar que os uruguaios façam um doce de leite de boa qualidade e por conseguinte, um alfajor que o usa em seu recheio, melhor ainda.

Segundo consta, a origem do alfajor é espanhola e o nome provem do hispano-árabe alhasú que significa recheio. Alfajor é um doce formado por duas metades de um biscoito unidas por um recheio, geralmente o doce de leite.

Andrea Robanina trabalha na produção de alfajores há 9 anos e tem uma loja em frente ao mercado del Puerto. Produz atualmente 23 sabores, alguns raros, como os que utiliza frutas secas e tropicais. Os sabores mais procurados e vendidos são os tradicionais, doce de leite chocolate branco.

Segundo ela, a loja recebe turistas de todo o mundo, em especial no Verão, quando chegam os turistas vindo nos cruzeiros que passam por Montevidéu. Já os uruguaios, adultos e crianças, consomem o produto frequentemente, como merenda típica.

Para a fabricação dos alfajores, Robanina disse fazer a própria capacitação dos funcionários. A loja participa anualmente do Congresso Nacional de Alfajores e do Congresso Mundial realizado em agosto em Buenos Aires, na Argentina. Mas, garante, o melhor é mesmo o uruguaio.

Dessa vez, não ousei atravessar o rio para comprovar. Mas um alfajor uruguaio com um cafezinho após um almoço no mercado del Puerto é qualquer coisa pra se guardar no fundo do coração como uma saborosa lembrança.

Chivito

E para finalizar a experiência gastronômica no Uruguai, nada como falar do Chivito, o sanduíche tradicional do país, servido nos principais restaurantes e lanchonetes. Ele pode ser feito com carne bovina ou frango e além disso tem ainda presunto, mussarela, bacon, alface, tomate, palmito, ovo, pimentão, azeitonas verdes a gosto e cebola. O prato foi criado em um restaurante em Punta del Este, chamado Mejilión, em 1940. Apesar de chivito significar bode, em espanhol, o prato é feito com filé mignon na chapa ou frango e é servido com batatas fritas ou outras inúmeras variações. Vale a pena conferir.

Sobre o/a autor/a

Compartilhe:

Leia também

O (des)encontro com Têmis

Têmis gostaria de ir ao encontro de Maria, uma jovem vítima de violência doméstica, mas o Brasil foi o grande responsável pelo desencontro

Leia mais »

Melhor jornal de Curitiba

Assine e apoie

Assinantes recebem nossa newsletter exclusiva

Rolar para cima