TRE cassa chapa inteira do PSL por fraude à cota de candidatas

Com a decisão, Coronel Lee, Ricardo Arruda, Guerrinha e Delegado Fernando devem perder mandatos

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR) decidiu nesta segunda-feira (4) pela cassação de toda a chapa do PSL eleita para a Assembleia Legislativa do Paraná em 2018. O tribunal chegou à conclusão de que o partido fraudou a cláusula que exige mínimo de 30% de candidaturas femininas.

Com a decisão, perdem o mandato quatro deputados estaduais: Luiz Fernando Guerra, Missionário Ricardo Arruda, Coronel Lee e Delegado Fernando. Os outros quatro deputados eleitos pela sigla inicialmente já foram cassados em outro processo que já foi julgado no TSE, e que condenou Fernando Francischini por fake news. Sem os votos dele, o partido perdeu as cadeiras de Subtenente Everton, Emerson Bacil e Do Carmo.

Como a decisão é do TRE, ainda cabe recurso em Brasília. Com isso, é possível que os quatro consigam se manter no mandato e esperar até que o caso tenha transitado em julgado. Caso o efeito suspensivo não seja concedido, o TRE terá de recalcular a distribuição de votos e descobrir quem são os quatro deputados que serão convocados para assumir as cadeiras deixadas em aberto.

Sobre o/a autor/a

7 comentários em “TRE cassa chapa inteira do PSL por fraude à cota de candidatas”

  1. Romelito Pires varela

    Marlene quirida, vc está equivocadoa não foi o TSE foi o TRE do seu estado PR que cassou os mandatos, o nosso TSE só tem corruptos vc já viu as contas de algum partido deste país ser censurada, não né nem algum político ser casado não ,e o TRE do seu estado também e corrupto( EU ESTOU FALANDO CORRUPTO MAS NAO POSSO DIZER QUE SEJA NAO CONHEÇO A MORAL DOS JUÍZES DAI TOMARA QUE NAO E SEJA SO COINCIDÊNCIA!) por que demorou tanto.

  2. jose carlos moretes do amaral

    3 anos e 9 meses foi o tempo que nossa competente justiça eleitoral , demorou para chegar a essa conclusão , considerando a diplomação em janeiro de 2019 restam ainda 6 meses de mandato, que com certeza vão entrar com recurso no STE, ou STF , e ai já foi o mandato fica o dito pelo não dito , os gastos e custos processuais ficam na urina ou seja incorporado ao sistema , Mesma coisa que justiça desportiva ISSO É UMA PALHA ASSADA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Plural se reserva o direito de não publicar comentários de baixo calão, que agridam a honra das pessoas ou que não respeitem níveis mínimos de civilidade. Os comentários são moderados por pessoas e não são publicados imediatamente.

Rolar para cima