Bolsonaro não liga para consolar viúva, liga para parentes bolsonaristas salvarem sua pele

Presidente pediu que irmãos de Marcelo Arruda o defendam da imprensa "de esquerda"

Um homem morre assassinado, num crime brutal. Alguém invade uma festa por motivos políticos e atira no aniversariante até matar. A vítima deixa viúva e quatro filhos, o crime choca o país.

Pensando numa história como essa, seria de imaginar que, se o presidente da República ligou, foi para consolar a viúva, oferecer uma palavra de conforto, quem sabe para garantir que o Estado vai se empenhar para que Justiça seja feita. Mas lembre: o presidente é Bolsonaro.

De fato, houve um telefonema, mas não para a viúva. Bolsonaro soube que embora Marcelo Arruda, a vítima, fosse petista, seus irmãos têm uma visão política diferente. São bolsonaristas. E se não teve coragem de ligar para a viúva, ligou para seus eleitores.

A covardia, porém, não para por aí. Ao contrário do que se poderia esperar, Bolsonaro não ligou para oferecer consolo, mas sim para se aproveitar dos irmãos da vítima. Pelas costas da viúva, pediu que eles vão a Brasília e contem uma história diferente daquela que a viúva tem contado.

A vítima, na visão de Bolsonaro, é ele próprio, e não Marcelo Arruda. O crime não foi cometido por um bolsonarista alucinado que atirou num adversário político inocente. O crime é da imprensa, que quer “colocar o caso no colo” dele.

O telefonema não era uma ajuda, um conforto. Era um pedido de boia salva-vidas. E ao mesmo tempo um método para dar mais impulso à guerra do presidente contra a imprensa, contra a esquerda, contra as vítimas.

Se tudo der certo para Bolsonaro, os irmãos de Marcelo irão a Brasília e ele armará um circo para se defender e para atacar os adversários.

Se tudo der certo para Bolsonaro, a viúva será mais uma vez vitimizada.

Se tudo der certo para Bolsonaro, mais uma vez dará tudo errado para o Brasil.

Sobre o/a autor/a

Compartilhe:

Leia também

Melhor jornal de Curitiba

Assine e apoie

Assinantes recebem nossa newsletter exclusiva

Rolar para cima