Após escândalo de áudio vazado, Márcio Barros deixa Conselho de Ética

Grupo pró cassação de Renato Freitas perde um voto; vereador não deve ser substituído por suplente

Depois do vazamento de dois áudios seus, o vereador Márcio Barros (PSD) acabou apresentando sua renúncia à vaga que tinha no Conselho de Ética da Câmara de Curitiba. Nos áudios, afirmava que votaria pela cassação de Renato Freitas (PT) e dizia que era preciso pressionar a vereadora Noemia Rocha (MDB) para fazer o mesmo.

Com a saída de Márcio Barros do Conselho, o grupo pró-cassação de Renato Freitas perde um voto. O entendimento é que o vereador não pode ser substituído por outro no decorrer do processo. Por isso, o presidente do Conselho, Dalton Borba (PDT), não deve aceitar a entrada de um novo membro no procedimento contra Renato Freitas, já que isso poderia levar à nulidade do caso.

Segundo o áudio que Barros teria enviado para um amigo, o Conselho teria até aquele momento quatro votos pela cassação do petista e três vereadores decididos a pedir o arquivamento do processo ou penas mais brandas, como a suspensão. Duas vereadoras, segundo ele, Indiara Barbosa (Novo), e Noemia Rocha, estariam indefinidas.

“Pior de tudo é a Noemia, que é da Assembleia de Deus. Tem que meter pressão nela”, diz ele numa conversa com um amigo chamado Bruno. Depois do vazamento, Barros mandou um áudio para Noemia pedindo desculpas.

A defesa de Renato Freitas chegou a protocolar um pedido formal na Câmara para que Barros fosse considerado suspeito na votação do caso. No entanto, antes mesmo que o presidente decidisse sobre a situação, o vereador do PSD pediu sua saída do Conselho.

Renato Freitas é alvo de uma representação no Conselho de Ética por ter protestado no dia 5 de fevereiro dentro da Igreja do Rosário, no Largo da Ordem, em Curitiba, contra o assassinato de dois homens negros. A própria Igreja Católica, por meio da Arquidiocese, afirmou ser contra a cassação do vereador, e sugeriu uma pena mais branda.

A principal força contra Renato Freitas na Câmara hoje é a bancada evangélica, que tem uma briga com ele desde que o petista afirmou haver pastores “trambiqueiros” em algumas igrejas.

Sobre o/a autor/a

6 comentários em “Após escândalo de áudio vazado, Márcio Barros deixa Conselho de Ética”

  1. LENI DIAS FABRI FABRI

    NÁUSEAS INCONTROLÁVEIS E VÔMITO AOS ” NOBRES VEREADORES DE CU RI TI BA, DEFEN$$$ORES DA MORAL , DA FAMIGLIA E DOS BONS COSTUMES. “A IGREJA DOS PRETOS É DE TODOS.” #RACISMOJAMAIS!

  2. Chega a ser uma vergonha para o Paraná o que está sendo feito dentro da Câmara de Vereadores de Curitiba vi o vídeo da suposta “invasão”. A acusação e ridícula chega a ser evidente a perseguição política que está sendo feita ao vereador Renato Freitas.

  3. SOU DO CEARÁ, MAS TORÇO MUITO PELA RENATO E DE FORMA ESPECIAL PELA CAUSA DE LUTA DELE. . MAS EM QUALQUER LUGAR, E A QUALQUER TEMPO, É MUITO DIFÍCIL A.LUTA DAQUELES QUE DEFENDEM ” OS PREFERIDOS DE DEUS “.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Plural se reserva o direito de não publicar comentários de baixo calão, que agridam a honra das pessoas ou que não respeitem níveis mínimos de civilidade. Os comentários são moderados por pessoas e não são publicados imediatamente.

Rolar para cima