UFPR abre 10 vagas para migrantes e refugiados | Jornal Plural
29 out 2019 - 0h03

UFPR abre 10 vagas para migrantes e refugiados

Vestibular integra políticas de inclusão e acesso à universidade por grupos sociais vulneráveis

Vão até às 17h do dia 11 de novembro as inscrições para o vestibular da Universidade Federal do Paraná (UFPR) para migrantes e refugiados. O processo seletivo especial vai ofertar 10 vagas para pessoas com visto humanitário e refugiados que desejem cursar graduação na instituição.

A prova será realizada em fase única, no dia 08 de dezembro, das 9h às 13h, em locais a serem divulgados. Serão avaliados: domínio dos conteúdos curriculares do Ensino Médio, capacidade de argumentar com clareza, de relacionar e interpretar fatos e dados e de raciocinar de maneira lógica.

Estão excluídos deste processo de seleção especial os cursos de Estatística e Matemática, Música (Licenciatura e Bacharelado), Design de Produto, Design Gráfico e de Arquitetura e Urbanismo, em razão de suas especificidades.

O comprovante de ensalamento estará disponível na internet a partir de 04 de dezembro. O resultado final está previsto para dia 10 de janeiro de 2020.

Para se inscrever no vestibular especial da UFPR, o aluno precisa apresentar comprovante de conclusão de Ensino Médio e da condição de migrante com visto humanitário ou refugiado. Serão aceitos: cópia da solicitação de refúgio no Ministério da Justiça ou na Polícia Federal ou atestado reconhecido pelo Comitê Nacional de Refugiados (Conare), do Ministério das Relações Exteriores.

Os aprovados deverão, obrigatoriamente, participar do Curso de Acolhimento Linguístico e Acadêmico, organizado pelo Projeto Português Brasileiro para Migração Humanitária, que será realizado no período que compreende as cinco semanas que antecedem o início do ano letivo de 2020 da UFPR.

Política Migratória e Universidade

Este é o segundo ano do vestibular para refugiados. “A procura tem sido bem grande”, conta a coordenadora do Programa Política Migratória e Universidade Brasileira (PMUB),Tatyana Friedrich. Ela lembra que a decisão significa a consolidação de um trabalho realizado há seis anos e compõe as políticas de inclusão e acesso à UFPR por grupos sociais vulneráveis.

O programa (PMUB) atua desde 2013 dentro da cátedra Sérgio Vieira de Mello, existente na UFPR, em parceria com o Alto Comissariado das Nações Unidos para Refugiados (ACNUR/Brasil) e é composto por seis projetos de extensão da UFPR: 

*Português Brasileiro para Migração Humanitária, do curso de Letras e Centro de Línguas e Interculturalidade (Celin); 

*Refúgio, Migrações e Hospitalidade, do curso de Direito; 

*Capacitação em Informática para Imigrantes, do curso de Informática; 

*Migração e Processos de Subjetivação: Psicanálise e Política, do Departamento de Psicologia; 

*Migrantes no Paraná: Preconceito, Integração e Capital de Mobilidade, do Departamento de Sociologia;

*Oficina de História do Brasil para Estrangeiros, vinculado ao PET-História.

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você entra na nossa lojinha, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias